Notícias – Rural – AGCO prevê crescimento de até 10% em 2018

Grupo de equipamentos agrícolas espera comercializar 45 mil unidades no próximo ano

Grupo de equipamentos agrícolas espera comercializar 45 mil unidades no próximo ano | Foto: Victor Reis Rabelo da Silva / AGCO / Divulgação / CP

Grupo de equipamentos agrícolas espera comercializar 45 mil unidades no próximo ano | Foto: Victor Reis Rabelo da Silva / AGCO / Divulgação / CP

  • Às vésperas de concluir o processo iniciado em 2017 de renovação total de seu portfólio de produtos, que prevê a colocação no mercado de 159 novos equipamentos, o grupo AGCO reuniu a imprensa em São Paulo para fazer um balanço de 2018 e traçar perspectivas para 2019. Executivos da cúpula da empresa projetaram um crescimento entre 5 a 10% nas vendas neste ano em relação ao volume do ano passado, cuja receita líquida chegou a 8,3 bilhões de dólares. A mesma margem é esperada para o próximo ano, o que representa a comercialização de cerca de 45 mil de unidades.

    O presidente global da AGCO, Martin Richenhagen, destacou o foco do grupo na América Latina, onde foram investidos nos últimos três anos 323 milhões de dólares em pesquisa e desenvolvimento, 95% dos quais no Brasil. Richenhagem apontou que o país deve viver no futuro próximo o incremento de seu desempenho nas exportações, principalmente se prosseguir a guerra comercial entre China e Estados Unidos.

    "O Brasil pode se favorecer com a situação para o aumento da venda de soja, milho e proteína animal, lembrando que a China aprecia relações comerciais duradouras", comentou.

    Além disso, o presidente observou o cenário de estabilização econômica que se espera do Brasil após a eleição de Jair Bolsonaro e que poderá levar um produtor rural que havia freado os investimentos a atualizar seu maquinário em 2019.

    Presidente do grupo para a America Latina, Luís Felli adiantou que entre os lançamentos previstos pela AGCO para o ano que vem estão a plantadeira Momentum e a colheitadeira Ideal. A plantadeira, com versões em 24, 30 e 40 linhas, com 18 metros de largura, e a colheitadeira, equipada com sistema de processamento inteligente, o qual preserva a qualidade dos grãos, já começam em 2018 a serem fabricadas na unidade da AGCO, em Santa Rosa.

    Nereida Vergara

    Fonte : Correio do Povo