NOTÍCIAS – INVESTIGAÇÕES – Polícia Federal deflagra nova fase da Operação Carne Fraca

Fonte:Agência Brasil

A ação mira a empresa BRF, que supostamente praticava fraudes laboratoriais para burlar inspeção do Ministério da Agricultura

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda, dia 5, uma nova fase da Operação Carne Fraca que tem como alvo um esquema de fraudes descoberto na empresa BRF, gigante do setor de carnes e processados.

Desde as 6h são cumpridos 91 mandados decretados pela Justiça Federal, do Paraná. Além do estado, as ações se estendem para Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás e São Paulo. Batizada de Operação Trapaça, 11 pessoas estão com ordem de prisão temporária e 27 de condução coercitiva. Os policiais cumprem ainda 53 mandados de busca e apreensão em unidades da BRF – dona da Sadia e Perdigão.

Cerca de 270 Policiais Federais e 21 Auditores Fiscais Federais Agropecuários participam da operação nesta manhã, como resultado de ação coordenada entre a Polícia Federal e o Ministério da Agricultura (Mapa).

A terceira fase da Carne Fraca tem como alvo um esquema de fraudes laboratoriais que burlavam inspeção do ministério supostamente praticados por empresas do grupo BRF. As investigações demonstraram que cinco laboratórios credenciados junto ao Ministério da Agricultura fraudavam resultados de exames em amostras de seu processo industrial, informando ao Serviço de Inspeção Federal dados fictícios em laudos e planilhas técnicos, comprometendo a fiscalização de eficácia e qualidade do processo industrial da empresa investigada.

De acordo com nota da PF, a prática contava com a anuência de executivos do grupo empresarial, bem como de seu corpo técnico, além de profissionais responsáveis pelo controle de qualidade dos produtos da própria empresa. Também foram constatadas manobras extrajudiciais, operadas pelos executivos do grupo, com o fim de acobertar a prática desses ilícitos ao longo das investigações.

Os investigados poderão responder, dentre outros, pelos crimes de falsidade documental, estelionato qualificado e formação de quadrilha ou bando, além de crimes contra a saúde pública. Quanto àqueles com prisão cautelar decretada, tão logo sejam localizados eles serão trazidos à sede da Polícia Federal em Curitiba onde permanecerão à disposição das autoridades responsáveis pela investigação.

Em nota, a Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura informou que irá realizar alguns procedimentos específicos. Veja abaixo.

  • Suspensão do credenciamento dos laboratórios alvo da operação, até finalização dos procedimentos de investigação, que poderão resultar no cancelamento definitivo do credenciamento;

  • Implementação de medidas complementares de fiscalização, com aumento de frequência de amostragem para as empresas envolvidas, até o final do processo de investigação.

  • Implementação pela SDA de novos modelos de controle de laboratórios credenciados visando a redução de fraudes;

  • Aprimoramento de ferramentas de combate a fraudes em alimentos, como também continuidade de ações já desempenhadas pelo Serviço de Inspeção Federal, possibilitando redução de não conformidades a curto e médio prazo.

    Fonte : Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *