NOTÍCIAS – Destaques do dia: o que foi notícia nesta quinta-feira (29/4)

De segunda a sexta-feira, Globo Rural traz um resumo das principais informações do agronegócio

Destaques do Dia (Foto: Estúdio de Criação)

(Foto: Estúdio de Criação)

Boa noite! Confira os destaques desta quinta-feira (29/4) no site da Revista Globo Rural.

Aumento na safra

Colheita de soja (Foto: REUTERS/Jose Roberto Gomes)

(Foto: REUTERS/Jose Roberto Gomes)

O Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês), que tem sede em Londres, elevou sua previsão de produção global de grãos na temporada 2020/21 em 2 milhões de toneladas, de 2,224 bilhões para 2,226 bilhões de toneladas, de acordo com relatório mensal divulgado na manhã desta quinta-feira (29/4).

O aumento foi motivado principalmente por uma maior expectativa para a produção de milho, disse o IGC. Caso confirmado, o volume total será cerca de 2% maior do que o estimado para a temporada anterior.

BR-153

infraestrutura-rodovia-br-153 (Foto: DNIT)

(Foto: DNIT)

O Consórcio Eco 153, formado pelas empresas EcoRodovias e GLPX, venceu nesta quinta-feira (29/4) o leilão do sistema rodoviário BR 153/414/080 Tocantins-Goiás, realizado na bolsa de valores B3, na capital paulista.

O consórcio ofereceu o desconto máximo de 16,25% para o valor de pedágio e R$ 320 milhões de outorga. O outro concorrente, a CCR, também ofereceu o valor máximo de desconto no pedágio, mas uma outorga de R$ 117 milhões.

Destino da Agrishow

Agrishow (Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

A organização da Agrishow deve anunciar na próxima semana o adiamento ou cancelamento da 27ª edição da feira, que estava prevista para ser realizada entre os dias 21 e 25 de junho, em Ribeirão Preto (SP). Considerada a maior feira de tecnologia agrícola a céu aberto da América Latina, a Agrishow não foi realizada no ano passado e, neste ano, é a única entre os grandes eventos do setor no primeiro semestre que ainda não foi cancelada oficialmente.

O presidente da feira, Francisco Matturro, disse, na quarta-feira (28/4), que a Agrishow só poderá ser realizada quando Ribeirão Preto estiver na fase azul do Plano São Paulo, que permite a realização de eventos com número maior de pessoas. Atualmente, o Estado está na fase de transição entre a vermelha (a mais restritiva) e a amarela. A fase azul é a menos restritiva.

Surto de piranha no RS

Ataque de piranhas no RS (Foto: Marcelo Moraes/Arquivo pessoal)

(Foto: Marcelo Moraes/Arquivo pessoal)

O aparecimento de piranhas vermelhas, chamadas de palometas, na bacia do rio Jacuí está tirando a renda de pelo menos uma centena de pescadores que vivem da atividade na região central do Rio Grande do Sul e pode chegar em breve ao rio Guaíba, que banha a capital Porto Alegre.

Cinco municípios – Cachoeira do Sul, Rio Pardo, Vale Verde, Bom Retiro do Sul e General Câmara – já informaram a presença nas águas do Jacuí da espécie invasora e predadora que ataca os outros peixes nas redes, inviabilizando a pesca. General Câmara fica a menos de 70 km da capital.

Força Nacional na Amazônia

Fogo, queimada, Amazônia, Altamira, floresta, Pará, BR-163, rodovia, desmatamento  (Foto: Emiliano Capozoli/Ed.Globo)

(Foto: Emiliano Capozoli/Ed.Globo)

O Ministério da Justiça autorizou nesta quinta-feira (29/4) o uso da Força Nacional de Segurança (FNS) para apoiar ações de fiscalização do Ibama contra o desmatamento ilegal na Amazônia, no momento em que a operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na região é encerrada.

De acordo com o Ministério da Justiça, a Força irá atuar por 260 dias – até janeiro de 2022, mas podendo ser estendido – na segurança das equipes do Ibama que fazem a fiscalização contra desmatamento e queimadas na região.

Mais fretes

Caminhão é carregado com soja em fazenda no Brasil (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

(Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

O volume de fretes rodoviários no Brasil saltou 53% no primeiro trimestre de 2021 ante igual período do ano anterior, impulsionado especialmente pelo agronegócio e o setor de construção, indicou relatório publicado nesta quinta-feira (29/4) pela plataforma on-line de cargas FreteBras.

Segundo o levantamento, realizado com base na análise de 1,6 milhão de fretes entre janeiro e março, tanto construção quanto agronegócio ampliaram seus volumes em 60% na comparação anual, apoiados pelas concessões de crédito imobiliário em um cenário de baixa taxa de juros e pelo aumento do PIB agropecuário, respectivamente.

Milho e pecuaristas

Etanol valoriza o milho em MT - Animal se alimenta de ração com DDG (Foto: Rogerio Albuquerque)

(Foto: Rogerio Albuquerque)

O aumento no preço do milho tem afetado diretamente os negócios dos pecuaristas no Brasil. Em São Paulo, segundo levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-Esalq/USP), o poder de compra é o pior desde junho de 2016.

Segundo os pesquisadores, nem mesmo as altas nas cotações do boi gordo ao longo de abril vêm ajudando a melhorar a relação de troca de arroba pelo milho, cuja valorização tem sido ainda maior. A situação ainda é agravada porque, nesta época, os pecuaristas intensificam o uso de grãos na alimentação animal devido à chegada do período mais seco do ano.

Aposta na carne de laboratório

O hambúrguer de laboratório estará no mercado em até três anos (Foto: Universidade de Maastricht/Divulgação)

(Foto: Universidade de Maastricht/Divulgação)

Acompanhando o avanço nas discussões sobre a produção de carne cultivada em laboratório, a Universidade Federal do Paraná (UFPR) inicia na próxima segunda-feira (3/5) um curso on-line sobre “ecossistema empreendedor” desse segmento no Brasil. A participação é gratuita e pode ser feita por e-mail.

Com 130 profissionais já inscritos, entre eles funcionários dos principais frigoríficos brasileiros, o curso terá duração de quatro horas, em formato webinar, e abordará entre outros temas o estudo do caso de Cingapura, primeiro país a regulamentar o mercado de carne produzida a partir de células cultivadas.

Palavra do campo

podcast-agrotoxico-abril (Foto: Felipe Yatabe/Ed.Globo)

(Foto: Felipe Yatabe/Ed.Globo)

Várias lavouras no Brasil já estão mostrando que o uso do defensivo químico está perdendo protagonismo. Não só em pequenas produções, mas também em grandes áreas de commodities.

Para falar sobre o novo momento dos defensivos no País e entender a evolução do uso dos sintéticos e biológicos no decorrer da História, coloque os fones de ouvido, dê o play e ouça o novo episódio do podcast Palavra do Campo.

REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *