NOTÍCIAS – Destaques do dia: o que foi notícia nesta quarta-feira (5/5)

De segunda a sexta-feira, Globo Rural traz um resumo das principais informações do agronegócio

Destaques do Dia (Foto: Estúdio de Criação)

(Foto: Estúdio de Criação)

Boa noite! Confira os destaques desta quarta-feira (5/5) no site da Revista Globo Rural.

Agrishow novamente adiada

Agrishow (Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

A Agrishow foi adiada novamente e será realizada somente entre os dias 25 e 29 de abril de 2022. A nova data foi comunicada pela Informa Markets Brasil, que realiza a feira, aos expositores.

A decisão foi tomada depois de um levantamento feito com as empresas que participam da feira e a resposta da maioria foi de que não seria possível realizar o evento ainda neste ano. “De fato, a situação de saúde pública no Brasil ainda é considerada grave e não nos permite uma visibilidade da qual será seu patamar em junho e as consequentes restrições impostas pelos órgãos governamentais”, diz o comunicado.

Insinuações à China

Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

(Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

Em um discurso exaltado e sem citar nominalmente a China, o presidente Jair Bolsonaro insinuou nesta quarta-feira que o novo coronavírus pode ter sido criado pelo país asiático como parte de uma bacteriológica, em mais um episódio que tem potencial de gerar atrito com o principal fornecedor de insumos para vacinas do Brasil.

"É um vírus novo, ninguém sabe se nasceu em um laboratório ou nasceu por algum ser humano ingerir um animal inadequado. Mas está aí. Os militares sabem que é uma guerra química bacteriológica e radiológica. Será que estamos enfrentando uma nova guerra? Qual país que mais cresceu seu PIB? Não vou dizer para vocês.", afirmou.

Exportações de soja em maio

Navio carregado com soja no porto de Santos (SP) (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

(Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

As exportações de soja do Brasil em maio deverão recuar após terem registrado um recorde histórico para todos os meses em abril, com o mercado um pouco mais abastecido depois de grandes embarques do maior produtor e exportador global, conforme analistas e dados da programação de navios nos portos.

Além disso, a China mais cautelosa em negócios – após os preços do produto na bolsa de Chicago atingirem os maiores níveis em cerca de oito anos – e os prêmios negativos ante os contratos futuros nos portos brasileiros trazem a confirmação de que "o melhor já passou" para a exportação do Brasil este ano, disse o analista da AgRural Fernando Muraro.

Orçamento para Plano Safra

politica-tereza-cristina-ministra (Foto: Adriano Machado/Reuters)

(Foto: Adriano Machado/Reuters)

Com os preços do milho no mercado brasileiro em patamares recordes, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse ver condições para a próxima safra de verão (2021/22) crescer acima de expectativas, mas avaliou que é importante que o Congresso vote logo temas relativos ao Orçamento, para que o ministério possa encaminhar o Plano Safra.

Em meio à demora dos parlamentares em abrir crédito suplementar para recompor recursos de subvenção do crédito rural, a Secretaria do Tesouro Nacional enviou ofício na noite de terça-feira (4/5) às instituições financeiras suspendendo as contratações de linhas de crédito do Plano Safra 2020/2021.

Déficit de armazenagem de grãos

Grãos de milho em frente a silos em Sorriso (MT) 26/07/2017 (Foto: Nacho Doce/Reuters)

(Foto: Nacho Doce/Reuters)

O Brasil bateu recordes sucessivos de produção de grãos nos últimos anos, devendo fechar a safra 2020/2021 com 273,8 milhões de toneladas, mas a capacidade de armazenamento não cresceu no mesmo ritmo.

O resultado é um déficit de armazenagem de 122 milhões de toneladas, segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), considerando apenas a relação entre o tamanho da produção e a capacidade estática dos armazéns.

Projeções de colheita

Colheita de soja em Primavera do Leste (MT) (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

(Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

A produção total de milho deve atingir 105,46 milhões de toneladas na temporada 2020/21, estimou a consultoria Datagro nesta quarta-feira, ao rebaixar sua projeção ante os 109,3 milhões vistos anteriormente, em meio a perdas na segunda safra pela seca.

Se confirmado, o resultado ainda deve representar uma queda de 1% em relação ao recorde de 106,81 milhões de toneladas obtido em 2019/20, ressaltou a consultoria em nota.

Insumos para defensivos agrícolas

Colheita de milho em Xanxerê (SC) (Foto: REUTERS/Inae Riveras)

(Foto: REUTERS/Inae Riveras)

O avanço da Covid-19 na Ásia tem acarretado restrições de matéria-prima para produção de agroquímicos e ligou um alerta para o setor de defensivos sobre o risco de faltar produtos para a safra 2021/22 do Brasil, que será plantada a partir de setembro, disse o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg).

"Tivemos aumento generalizado (de preços) das matérias-primas em nossos produtos e começamos a ter falta de produtos também", disse o presidente da entidade, Júlio Borges Garcia.

Pressão contra regularização fundiária

Dentre os biomas, o levantamento do MapBiomas aponta que a Amazônia foi o que mais perdeu área nativa nos últimos 34 anos (Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images)

Um grupo de empresas e varejistas da Europa ameaçou parar de usar commodities agrícolas brasileiras se o Congresso aprovar projeto de lei que altera regras de regularização fundiária em terras da União e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Defensores do meio ambiente alertam que a proposta incentivaria o desmatamento ao recompensar grileiros que ocupam propriedades ilegalmente na floresta amazônica, muitas vezes derrubando áreas para uso agrícola.

Pecuária sustentável

criação-boi-liga-araguaia (Foto: Fazenda Água Viva/Divulgação)

(Foto: Fazenda Água Viva/Divulgação)

Voltado para a promoção da sustentabilidade na pecuária, o Projeto Carbono Araguaia contabilizou a mitigação das emissões de 113,928 mil de toneladas de CO2 equivalente nos últimos cinco anos.

De acordo com os responsáveis pela iniciativa, o volume foi calculado a partir de metodologia reconhecida internacionalmente. Os dados foram coletados entre 2016 e 2020 e estão em processo final de verificação por auditorias independentes.

REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *