Única: moagem de cana alcança 46 milhões de toneladas no Centro-Sul

Valor corresponde ao processado na segunda quinzena de julho e representa aumento de 10,78% em comparação com o mesmo período da safra 2011/2012

por Globo Rural On-line

Ernesto de Souza

A área colhida na região Centro-Sul em junho apresentou produtividade média de 78,5 toneladas de cana por hectare

O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil somou 46,27 milhões de toneladas na segunda quinzena de julho, crescimento de 9,66% em relação à quantidade observada na primeira quinzena do mês e aumento de 10,78%comparativamente ao mesmo período da safra 2011/2012.
Na segunda quinzena de julho desse ano não houve paradas significativas na moagem por causa do clima seco, o que contribuiu para o aumento da produção. Na média da região Centro-Sul, o aproveitamento de moagem nos últimos quinze dias do mês superou 86% nas unidades tradicionais.
No acumulado desde o início da safra até 1º de agosto, a moagem totalizou 216,84 milhões de toneladas nesta safra, contra 260,05 milhões de toneladas verificadas na mesma data de 2011. Portanto, apesar do avanço da colheita em julho, o volume de cana-de-açúcar processado este ano ainda continua 43,20 milhões de toneladas inferior ao registrado na safra 2011/2012.

A produtividade agrícola em julho também avançou significativamente. Segundo levantamento realizado pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), a área colhida na região Centro-Sul naquele mês apresentou uma produtividade médiade 78,5 toneladas de cana-de-açúcar por hectare, incremento de 13,77% sobre o valor observado no ano anterior.
Com isso, a produtividade acumulada desde o início da safra até 1º de agosto deste ano alcançou 75,1 toneladas por hectare, aumento de 1,35% comparado ao ano passado. Se o aumento na produtividade se mantiver nos próximos meses estima-se que a quantidade de cana processada fique acima dos 509 milhões de toneladas estimados em abril.

Qualidade da matéria-prima

Na última quinzena de julho, a quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar atingiu 133,20 kg, queda de 5,99% em relação ao valor observado no mesmo período de 2011.

No acumulado desde o início da safra até 1º de agosto, a concentração de açúcares por tonelada de matéria-prima atingiu 123,91 kg, retração de 3,39% relativamente ao índice verificado na mesma data da safra 2011/2012.

Mix e produção de açúcar e de etanol

Do volume total de cana-de-açúcar processado na segunda quinzena de julho, 50,58% foi utilizado para a fabricação de açúcar. Nesse período, a produção de açúcar somou 2,97 milhões de toneladas, levemente superior àquela observada no mesmo período da safra anterior (2,83 milhões de toneladas). Já a produção de etanol totalizou 1,78 bilhão de litros nos últimos quinze dias de julho, sendo 777,66 milhões de litros de etanol anidro e 1,00 bilhão de litros de etanol hidratado.
No acumulado desde o início da safra até 1º de agosto, a produção de etanol totalizou 8,21 bilhões de litros, sendo 5,30 bilhões de litros de etanol hidratado e 2,91 bilhões de litros de etanol anidro. A produção de açúcar, por sua vez, alcançou 12,29 milhões de toneladas, queda de 17,01% em relação à safra 2011/2012.

Vendas de etanol

As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul atingiram 1,07 bilhão de litros na segunda quinzena de julho, montante 8,13% superior aquele observado no mesmo período de 2011.

Do total comercializado nesta última quinzena de julho, 243,13 milhões de litros destinaram-se ao mercado externo e 823,31 milhões de litros ao mercado doméstico, sendo 328,75 milhões de litros de etanol anidro e 494,56 milhões de litros de etanol hidratado.

No acumulado de abril até 1º de agosto, as vendas somaram 6,62 bilhões de litros, sendo 871,97 milhões de litros direcionados às exportações e 5,75 bilhões de litros comercializados no mercado interno.

Do montante direcionado ao abastecimento doméstico, 2,16 bilhões de litros referem-se ao etanol anidro e 3,59 bilhões de litros ao etanol hidratado.

De fato, o levantamento de preços realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostrou que há nove semanas consecutivas o preço do etanol hidratado carburante está abaixo de 70% do preço da gasolina C nos postos de combustíveis dos Estados de São Paulo, Goiás e Mato Grosso. Mesmo assim ainda não há uma migração significativa do consumidor flex para o etanol hidratado.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *