Negócios com energia eólica ganham vulto

Fonte:  Valor | André Borges e Tarso Veloso | De Brasília

Até dois anos atrás, a Makro Engenharia, de Fortaleza, tinha 15 funcionários para cuidar da logística dos equipamentos pesados de energia eólica. O transporte era feito por cinco caminhões. Hoje, o departamento se transformou em uma divisão de negócios com 250 funcionários e uma frota de 30 caminhões – mais 20 estão encomendados.

David Rodrigues, diretor comercial da empresa, diz que em breve a divisão será convertida em companhia independente, especializada no segmento eólico, do transporte de equipamentos à entrega completa da usina. "Esse mercado está explodindo". A Makro já entregou 50 torres e fechou pedidos para mais 250.

O setor de energia eólica, que receberá investimentos de R$ 25 bilhões nos próximos dois anos, atrai uma cadeia de empresas de todos os portes. A Abeeólica, associação das companhias do setor, estima que essa indústria já empregue 50 mil pessoas.