Índice de preços da FAO tem leve queda

Depois de três meses em alta, o índice de preços globais de alimentos da FAO, o braço das Nações Unidas para agricultura e alimentação, voltou a recuar em novembro. Mas a queda na comparação com outubro foi pequena (0,4%), e o atual patamar segue quase 5% superior ao de 2015.

Conforme levantamento divulgado ontem, o indicador encerrou o mês passado em 171,3 pontos, resultado que, em 2016, só ficou abaixo do calculado para outubro (172 pontos), como mostra o infográfico ao lado. No ano passado, a média foi de 164 pontos, a menor desde 2009.

A queda de novembro foi puxada pela expressiva retração (8,9%) do açúcar, que forma um dos cinco grupos de produtos que compõem o índice da FAO. Mas, embora o mergulho tenha sido grande, a commodity permanece muitos degraus acima dos níveis dos demais grupos de produtos, ainda em consequência das estimativas de déficit na safra internacional atual.

Também caíram no mês passado, de acordo com os dados da FAO, os preços de carnes e cereais. Nos dois casos, porém, as quedas foram marginais. A das carnes se limitou a 0,2% e, com isso, os preços médios apurados ficaram dentro de um intervalo observado desde julho. A dos cereais foi de 0,6%, para um nível também não muito diferente do que vem sendo registrado desde agosto.

Nos outros dois grupos de produtos que completam o indicador houve valorizações em novembro. Nos lácteos, a alta foi de 2%; nos óleos vegetais, de 4,6%.

Por Cleyton Vilarino | De São Paulo

Fonte : Valor

Compartilhe!