MPT denuncia usinas de Pernambuco por trabalho escravo

SÃO PAULO  -  O Ministério Público Federal (MPF) em Palmares (PE) denunciou, à Justiça Federal, dois sócios e um administrador do Grupo Econômico, formado pelas usinas Vitória e Vitória Agro Comercial, localizadas no Engenho Bom Destino, na zona rural de Palmares, por submeterem 241 trabalhadores rurais à condição análoga à de escravo.

Segundo consta na denúncia, em fiscalização do Ministério do Trabalho, realizada em novembro de 2008, foi confirmado que os denunciados sujeitavam os trabalhadores rurais a condições desumanas e degradantes de trabalho.

Dentre as irregularidades, a falta de água potável para consumo dos trabalhadores, o não fornecimento de alimentação adequada e a ausência de local para acondicionamento dos alimentos, situação que ocasionava, muitas vezes, o apodrecimento da comida.

Também não havia, no engenho, equipamentos mínimos de proteção, como chapéu e roupas adequadas, com exceção de uma luva que era entregue aos trabalhadores.

Os empregados eram ainda submetidos a condições de trabalho fatigantes e a jornadas exaustivas, que se iniciavam às 4h e terminavam às 16h30, e muitos não recebiam sequer um salário mínimo por mês.

Caso sejam condenados pela Justiça Federal, os denunciados poderão ser penalizados com até oito anos de prisão.

(Fabiana Batista | Valor)

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3304154/mpt-denuncia-usinas-de-pernambuco-por-trabalho-escravo#ixzz2hnGKJ7hp

Fonte: Valor | Por Fabiana Batista | Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *