MP investiga ação de cooperativa do PR

Atuação no Rio Grande do Sul teria relação com fraude no leite

O Ministério Público do RS (MP) investiga a atuação de uma cooperativa paranaense no esquema de adulteração de leite no Rio Grande do Sul. Segundo o MP, a empresa adquiria toda a produção de leite cru do entreposto da empresa Marasca, em Selbach, onde foram armazenados os lotes contaminados com ureia e formol. O centro foi interditado na operação Leite Compen$ado na semana passada.

Segundo a chefe da Divisão de Defesa Sanitária do Ministério da Agricultura no RS (Mapa/RS), Ana Stephan, há dois anos, a unidade da Marasca estava sendo investigada por suspeitas de adulteração e problemas sanitários. O Ministério Público ainda apura a relação entre as operações da Marasca e a atuação de um funcionário da cooperativa que trabalhava dentro do entreposto da empresa gaúcha. Veterinário, ele também respondia pelas compras dos produtores e foi preso na operação Leite Compen$ado na quarta-feira passada.

A cooperativa também é citada pelos produtores que entregavam o produto aos transportadores detidos. Segundo uma criadora de Ibirubá, todas as notas fiscais eram emitidas em nome da cooperativa tendo o município gaúcho de Eugênio de Castro como destino. Apesar disso, a maioria dos fornecedores de leite não sabia onde a produção iria parar ou com que marca chegaria aos supermercados. ‘Não sei para onde ia o nosso leite’, relata a produtora. De vez em quando, conta a criadora, ‘eles ainda reclamavam que tinha percentual de água demais no nosso leite. Faziam a gente ajustar os resfriadores’, descreve.

Na semana passada, após o escândalo, a criadora chegou a receber uma visita de integrantes da cooperativa interessados em manter a captação. Segundo representantes do setor na região de Ibirubá, o leite que até então era coletado pelos suspeitos, segue sendo captado pela cooperativa paranaense com os mesmos motoristas de antes. Procurada pela reportagem, a diretoria da cooperativa não se manifestou, mas garantiu que será divulgada hoje uma nota oficial. A Marasca também não emitiu posicionamento sobre as declarações do Ministério da Agricultura.

Fonte: Correio do Povo

Compartilhe!