MP indica coliforme fecal em água do leite

Governo estuda corte de incentivos de quem não captar direto do produtor

O Ministério Público (MP) divulgou ontem que a água de poço adicionada ao leite em Ibirubá apresentava coliformes fecais e ausência de cloro. O laudo da Univates confirma que o líquido era impróprio para consumo. Segundo o promotor Alcindo Silva Filho, ‘ocorreu dupla fraude, porque, além das substâncias como ureia e formol, a água também era imprópria’. A amostra foi coletada durante a Operação Leite Compen$ado, que resultou na suspensão de lotes das marcas Hollmann, Goolac, Só Milk, Italac, Líder, Mu-Mu e Latvida. Ontem, o MP esteve com representantes da Latvida para negociar Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). ‘A proposta envolve controle dos transportadores, que os testes de laboratório sejam feitos periodicamente e que abranjam a totalidade das fraudes’, diz Filho.

A empresa tem 20 dias para aderir, mas adianta que pretende aceitar o TAC. Hoje, entregará ao MP lista dos transportadores e histórico de controle de leite. Pelo acordo, a companhia ressarcirá consumidores e pagará um valor por dano moral coletivo a ser revertido ao Fundo Estadual do Consumidor. Italac, Líder e Mu-mu também devem ser convocadas até o final de maio.

O governo do Estado estuda cortar incentivos fiscais dos laticínios que não comprem o alimento direto de produtores ou cooperativas. A medida, que ainda deve ser alinhavada pelo secretário Luiz Mainardi com o governador Tarso Genro, deve fazer parte do pacote a ser anunciado amanhã na Fenasul.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *