Movimentos e artistas pressionam Dilma por mudanças no texto do Código Florestal

Campanha pelo veto cresce dentro e fora da internet e governo analisa melhor fórmula para o texto

Eraldo Peres

Foto: Eraldo Peres / AP

Presidente estuda fórmula para vetar texto do Código Florestal

Pressionada por entidades ambientais, artistas e parlamentares, a presidente Dilma Rousseff estuda uma fórmula para vetar o texto do Código Florestal preservando uma garantia de proteção legal aos produtores rurais. O texto foi recebido pela Casa Civil na segunda, dia 7, e agora a presidente tem 15 dias úteis para avaliar o projeto.

– O problema é o dia seguinte à sanção. Não posso levar a uma situação em que a lei não seja aplicável – salienta a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que discute o alcance do veto com Dilma.

Derrotado na votação da Câmara, o Planalto deseja recuperar o texto aprovado no Senado no final de 2011. Para tanto, seria necessário vetar as 21 alterações feitas pela Câmara, equacionando as resistências dos ruralistas para evitar uma derrubada do veto no Congresso. Responsável pela articulação política com os parlamentares, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, garantiu que haverá modificações, mas evita se comprometer.

– A tendência é de que haja vetos. Agora, em que artigos, qual é o alcance, obviamente, isso é uma decisão soberana da presidente – despistou.

Nas redes sociais, cresce a adesão ao movimento Veta Dilma. Os usuários pedem que a presidente cumpra a promessa feita ainda na campanha de 2010, quando assegurou que não permitiria anistia a desmatadores. Na noite de terça, dia 8, o Greenpeace projetou o slogan Veta Dilma na fachada do Congresso.

Na semana passada, a atriz Camila Pitanga quebrou o protocolo durante cerimônia no Rio de Janeiro e pediu a Dilma, presente à solenidade, que vetasse o Código.

>>> Confira a matéria original em Zero Hora

Fonte: Ruralbr | Maíra Gatto | Brasília ZERO HORA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *