MONSANTO DEVOLVE ROYALTY

Multinacional deve ressarcir mais de mil produtores gaúchos que pagaram pelo uso da soja RR1

A Monsanto irá restituir 5 mil agricultores, entre eles mais de mil gaúchos, que efetuaram o pagamento dos royalties na semente da soja RR1 na safra 2012/13 entre outubro de 2012 e fevereiro de 2013. A medida vai ao encontro da decisão da multinacional de suspender a cobrança até a decisão final da Justiça sobre a validade da patente da tecnologia no país. No fim de fevereiro, o Supremo Tribunal de Justiça negou pedido de prorrogação até 2014 do prazo que teria expirado em 2010. Segundo o gerente regional Soja da Monsanto, Tales Pezzini, o produtor deverá entrar em contato com o representante ou o ponto de venda onde a semente foi adquirida.

Ontem, durante o 24 Fórum Nacional da Soja, o valor dos royalties da Intacta RR2 Pro, que deve ser lançada comercialmente na próxima safra, foi alvo de questionamentos. Até então, os sojicultores pagavam R$ 22,00 por hectare pelo uso da RR1, enquanto que para a RR2 o custo subiria para R$ 115,00/ha – cinco vezes mais. O coordenador de pesquisa da multiplicadora CCGL-Tec, José Ruedell, rebateu dizendo que tecnologia cara é a que não funciona. ‘A empresa colocou seu valor. É o produtor que vai dizer se vale isso ou não’. Ruedell calculou em R$ 80 bilhões os benefícios associados, diretos e indiretos em dez anos.

O gerente de marketing de Soja da Monsanto, Marcelo Gatti, no entanto, admitiu a possibilidade de a multinacional rever valores. ‘Para mais ou para menos’, ponderou. Ele também lembrou que o produtor será dispensado de um possível pagamento dos royalties da RR1 nesta e nas próximas safras se assinar acordo com a empresa. A Aprosoja orienta pela não assinatura, em função das conquistas já obtidas em primeira instância na Justiça, que podem resultar na devolução dos valores arrecadados desde 2003/04.

O lançamento da RR2 depende do aval da China, o que, segundo Gatti, deve ocorrer nos próximos meses. Nesta safra, 183 gaúchos, de 73 municípios, estão entre os mil agricultores que testaram a tecnologia. Os resultados devem ser divulgados em maio. Em 2011/12, após testes em 500 propriedades, foi verificado incremento de 15,9% na produtividade (7,1 sacas/ha).

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *