Momento melhor | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho

A próxima Abertura Oficial da Colheita do Arroz, daqui a algumas semanas, em Restinga Seca, deve ser mais otimista do que a ocorrida em Camaquã no ano passado. Naquela ocasião, a lavoura arrozeira gaúcha atravessava um de seus piores momentos com preços inferiores aos do custo de produção, estoques remanescentes e forte concorrência do produto importado do Uruguai e da Argentina. Até a presidente Dilma Rousseff, recém-eleita mas ausente no evento, foi alvo de duras críticas por parte de oradores mais inflamados. Neste verão de La Niña, a oferta do cereal deve diminuir tanto aqui no Estado quanto nos países do Mercosul , o que sempre ajuda a equilibrar os preços. Os arrozeiros gaúchos estão exportando mais. Mecanismos de sustentação dos preços, assegurados pelo governo, também contribuem para uma perspectiva de comercialização melhor. Agora só falta o mercado interno consumir mais arroz para que o cereal volte a ser um bom negócio para os produtores.

Fonte : Zero Hora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.