Momento histórico: frigoríficos “finalmente” sentam para conversar


Conversei agora há pouco com Duda Biagi,pecuarista e presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) de Uberaba.  Antena ligada no corte, na seleção de elite, no antagonismo histórico com os frigoríficos, no crescimento do mercado interno, Duda acredita que já é possível falar um pouco de 2012 e divulgar algumas de suas expectativas em relação a 2013. Como sempre, o presidente da  ABCZ não se furta de opinar acerca de temas candentes. Ele se declara um otimista.Leia o que disse o dirigente:

Frigoríficos x fazendeiros: “Parece que há uma luz lá no final do túnel, uma possibilidade de entendimento. Pode ser um momento histórico, com os frigoríficos sentando para uma conversa. Mas a concentração continua prejudicando o produtor.”

Mercado de elite: “Está sendo mais seletivo em 2012. Não houve preços recordes, contudo a  oferta de animais foi grande e a liquidez deu a tônica ao mercado.”

Mercado comercial: “Ano ruim. Clima judiou e os custos atrapalharam bastante a atividade, enquanto a cotação da arroba ficou abaixo da de 2011. Esses fatores estão levando o pecuarista a investir na produtividade. Genética boa temos bastante, é necessário melhorar o manejo. Eu fico satisfeito de técnicas modernas como a integração lavoura/pecuária desembarcarem  com força nas propriedades. Um detalhe importante: o agricultor é menos refratário do que o pecuarista quanto ao emprego de tecnologias reconhecidamente positivas como a integração lavoura/pecuária.”

2013: “Vai ser melhor. Eu acredito que a indecisão com o Código Florestal está chegando ao seu final. Deixar de lado a insegurança jurídica é a questão mais importante. Vamos continuar produzindo e preservando a mata, como já é hábito dos pecuaristas. Eu acho que o Código Florestal  é justo e adequado. Sou otimista em relação a 2013 devido à melhora na renda da família brasileira e ao desemprego baixo que impulsionam  o consumo de carne.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *