Modelo climático brasileiro será usado em programa europeu

O Brasil é o único país do Hemisfério Sul a ter um modelo de qualidade do ar aprovado para participar do Programa Europeu de Cooperação em Ciência e Tecnologia, que reúne instituições de pesquisa de países da Europa.

O modelo desenvolvido pelo Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) vai se juntar aos mais avançados modelos meteorológicos e de qualidade do ar na Ação ES 1004: Sistema Europeu para a Modelagem Integrada On-Line de Qualidade do Ar e Meteorologia.

Nos testes e avaliações a que será submetido, o modelo brasileiro será adaptado às condições europeias. Segundo o Inpe, um dos desafios é a falta de dados observados de química da atmosfera para avaliar o modelo, realidade totalmente diferente da encontrada na Europa, provida de ampla rede de dados.

A equipe do Inpe vai levar ao programa europeu a preocupação brasileira com os efeitos dos aerossóis (originados principalmente a partir da fuligem das queimadas) e do balanço de energia (radiação térmica), cujos impactos afetam o clima e os regimes de chuva.

Ser aprovado para participar da iniciativa europeia, não é o primeiro reconhecimento internacional à qualidade do programa que tem menos de dez anos e foi desenvolvido no Brasil. O Centro Nacional de Pesquisas Atmosféricas (NCAR, na sigla em inglês), dos Estados Unidos, já incorporou o modelo de emissão e transporte de poluentes do modelo do CPTEC ao seu modelo meteorológico.

    Fonte: Terra | DiárioNet