Moagem de cana registra queda de 24% no Centro-Sul

Volume processado na segunda quinzena de setembro foi de 31,81 milhões de toneladas, 24% menor em comparação ao mesmo período do ano passado

por Globo Rural On-line

 Shutterstock

Para presidente da Unica, as chuvas influenciaram a queda na produção de açúcar e a alta nas vendas de etanol

O volume de cana-de-açúcar processado pelas produtoras da região Centro-Sul do Brasil foi de 31,81 milhões de toneladas na segunda quinzena de setembro. O número é 24,2% menor em relação à primeira metade do mês e 13,73% menor quando comparado ao mesmo período de 2011. As informações foram divulgadas nesta terça-feira (9/10) pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).
A redução da moagem foi acompanhada por uma queda na produção de açúcar, que totalizou 2,21 milhões de toneladas nos primeiros 15 dias do mês passado, um volume 29,63% menor diante do que foi produzido na primeira quinzena de setembro e de 22,43% em comparação à segunda metade do mês em 2011.
Em relação ao etanol, a produção chegou a 1,44 bilhão de litros no fim de setembro, sendo que 990,4 milhões de litros foram comercializados. As vendas foram 1,3% maiores do que no mesmo período do ano passado.
Para o presidente interino da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, as chuvas de setembro influenciaram a queda do açúcar e a alta do etanol. "As unidades produtoras aproveitaram as paradas por chuvas para fazer manutenção na indústria. Nesse momento, o caldo em processo foi utilizado para a produção de etanol, reduzindo significativamente a produção de açúcar no período", afirmou.
De todo o álcool produzido no período, 633,91 milhões de litros (44%) foram do tipo anidro e 802,10 milhões (56%), do tipo hidratado. O presidente da Unica ressalta que, “nas últimas quinzenas, as empresas priorizaram a produção deetanol anidro”. Até por isso, a produção de etanol hidratado foi 16,66% menor do que a registrada em setembro do ano passado.
Os dados divulgados pela Unica foram compilados a partir de números fornecidos por sindicatos e associações de produtores de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *