Moagem de cana-de-açúcar alcança 39,85 milhões de toneladas no Centro-Sul

Segundo dados da Unica, a maior proporção foi destinada à produção de etanol

Divulgação/Única

Foto: Divulgação/Única

A maior parte da cana processada, 56,47%, destinou-se à produção de etanol

O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul totalizou 39,85 milhões de toneladas na primeira quinzena de maio, perante aos 20,88 milhões de toneladas verificadas em igual período da safra 2012/2013.
No acumulado desde o início da atual safra até 15 de maio, a moagem alcançou 81,11 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Esse volume é 131,64% superior aquele verificado em 2012, quando chegou a 35,01 milhões de toneladas, mas 13,41% inferior ao observado na safra de 2010/2011, quando as unidades localizadas no Centro-Sul processaram 556,95 milhões de toneladas ao final do período de moagem.
Para o diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Antonio de Padua Rodrigues, não adianta comprar moagem de 2013 com os números de 2012, pois a oferta de matéria-prima no ano passado era significativamente inferior ao volume esperado para esta safra e, por isso, a maior parte das unidades produtoras começou a safra mais tarde.
– Na verdade, ainda estamos atrasados quando comparamos o volume moído esse ano com aquele verificado em 2010, quando o setor processou uma quantidade de cana muito inferior aos 589,60 milhões de toneladas previstas para a safra 2013/2014 – acrescentou o executivo.
Produção de açúcar e de etanol

A maior parte da cana processada, 56,47%, destinou-se à produção de etanol e 58,31% da cana foi direcionada para a produção do biocombustível. Segundo o diretor da Unica, no início da safra a participação das unidades produtoras que só fazem etanol na moagem total se reduziu para menos de 14%.
– Quando restringimos a análise às unidades que tem capacidade de produzir etanol e açúcar, fica evidente o maior esforço para a produção de etanol, pois, até o momento, essas empresas reduziram a proporção de cana direcionada para açúcar em 2,5 pontos percentuais – explicou.
Rodrigues ainda esclarece que a maior proporção de cana direcionada para a produção de etanol foi limitada porque várias empresas tiveram que atender compromissos de entrega de açúcar firmados no passado, restringindo uma eventual alteração no mix de produção.
Com isso, o volume produzido de etanol alcançou 1,64 bilhão de litros, sendo 974,95 milhões de litros de etanol hidratado e 666,91 milhões de litros de etanol anidro. No acumulado, a produção de etanol atingiu 3,25 bilhões de litros, com 2,19 bilhões de etanol hidratado e 1,06 bilhão de litros de etanol anidro.
A fabricação de açúcar somou 2,06 milhões de toneladas e 3,76 milhões de toneladas no acumulado desde o início da safra 2013/2014.
Qualidade da matéria-prima

A quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar processada atingiu 124,47 kg por tonelada, valor 9,08% superior aos 114,11 kg verificados em 2012. No acumulado desde o início da safra 2013/2014 até 15 de maio, o teor de ATR por tonelada de matéria-prima alcançou 116,76 kg por tonelada, 5,70% acima dos 110,46 kg verificados em igual período do ano anterior.
Essa tendência de maior concentração de açúcares na matéria-prima deve ser interrompida nas próximas semanas se as previsões climáticas, que apontam para a ocorrência de chuva em praticamente todas as regiões produtoras, se confirmarem.
Vendas de etanol

As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somaram 920,90 milhões de litros na primeira metade de maio, alta de 23,91% relativamente à mesma quinzena de 2012. Deste total, 73,98 milhões de litros foram destinadas às exportações e 846,92 milhões de litros ao mercado doméstico.
No mercado doméstico, o volume comercializado de etanol anidro alcançou 343,67 milhões de litros. Esse crescimento já era previsto devido ao aumento, de 20 para 25%, no nível de mistura de etanol anidro na gasolina a partir de maio deste ano.
O volume de etanol hidratado vendido no mercado interno alcançou 503,26 milhões, contra apenas 448,53 milhões de litros observados na mesma data de 2012.
– O consumo de etanol hidratado deve continuar crescendo nas próximas quinzenas, pois o bicombustível já é economicamente viável em relação à gasolina em boa  parte do mercado consumidor –  destaca o diretor da Unica.
O levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP na última semana aponta que no município de São Paulo, maior mercado nacional, mais de 70% dos postos pesquisados já estavam comercializando etanol a preços vantajosos ao consumidor.

Fonte: Ruralbr

Compartilhe!