Milho transgênico na pauta da CTNBio

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) deve iniciar hoje, durante a sua 160 reunião ordinária, em Brasília, o polêmico debate sobre o requerimento de reavaliação do milho transgênico NK603, da Monsanto, e de suspensão da liberação comercial da tecnologia e demais variedades que a utilizem. O pedido foi encaminhado em outubro do ano passado por mais de 30 organizações da sociedade civil e movimentos sociais, devido à ‘gravidade das informações levantadas na pesquisa coordenada pelo professor Gilles-Eric Séralini tendo em vista os possíveis danos irreparáveis à saúde humana e à segurança alimentar e nutricional’. Divulgado em setembro, o estudo do pesquisador Séralini apontou maior incidência de câncer em ratos alimentados com o grão.

O assunto é alvo de divergências entre os membros da CTNBio. Favorável ao acolhimento do pleito das entidades, Leonardo Melgarejo, representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário, critica a manifestação feita em outubro pela presidência da comissão, que apontou falhas na pesquisa do francês. ‘Não houve discussão em plenário’, reclama. Melgarejo temia que o baixo quórum verificado na reunião setorial, ontem, pudesse prejudicar o debate hoje.

Fonte: Correio do Povo

Um comentário em “Milho transgênico na pauta da CTNBio

  1. Caros leitores.
    A oposição à biotecnologia se prende a um artigo que foi contestado por todas as instâncias sérias em ciência e avaliação de risco e considerado inútil para que dele se possa inferir qualquer informação importante para a segurança do milho NK603. A CTNBio não precisa se reunir em pleno para avaliar um artigo, opresidente pode pedir a opinião de alguns membros ou mesmo consultores ad hoc para fazer isso, ou até mesmo dar a opinião sozinho.
    Vejam os links abaixo para uma réplica e descarte dos resultados do artigo de Séralini e cols.
    http://genpeace.blogspot.com.br/2012/10/seis-academias-cientificas-francesas_9343.html
    http://genpeace.blogspot.com.br/2012/10/brazil-officially-rejects-seralinis.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *