Milho: colheita ganha ritmo e pressiona cotações no mercado físico

Com o dólar dando sustentação, o milho no mercado físico brasileiro voltou a se valorizar, mas ainda assim a cotação do cereal se aproxima dos R$ 47 por saca. De acordo com a consultoria Agrifatto,  a pressão negativa sobre os preços vem da colheita, que segundo o Imea, mais de 8% da área total estimada já foi colhida no estado de Mato Grosso, o Departamento de Economia Rural do Paraná, trabalha com uma colheita acima dos 9%.

Aos poucos a oferta chega ao mercado e pressionas as cotações, ainda assim, o fundo parece estar um pouco distante. Já que o vencimento para julho de 2020 na B3, aponta o valor de R$ 43,80 por saca, demonstrando um caminho de desvalorização de no mínimo R$ 3 a ser percorrido. Nos EUA, os negócios seguem pouco movimentados devido as indefinições sobre para onde vai a demanda por milho norte-americano, o padrão climático ainda não dá sinais de grandes preocupações.

Fonte : Canal Rural

Compartilhe!