Midas contemporâneos

Jayme Monjardim promoveu o cavalo crioulo a personagem e estrela de minisséries globais, como A Casa das Sete Mulheres. Galvão Bueno, pecuarista tarimbado no Paraná, interessou-se pelo vinho e pelo cavalo símbolo do Rio Grande do Sul. Dois grandes profissionais da televisão brasileira, dois mestres em seus ofícios, com um dom em comum: transformar tudo o que tocam em ouro. Há sempre um momento na vida desses Midas contemporâneos em que um hobby, uma paixão, transforma-se em negócio. Lucrativo, diga-se. Com Jayme Monjardim e Galvão Bueno não foi diferente. Apaixonados, ambos, pela cultura gaúcha e pela vida do campo, envolveram-se com a criação de cavalos crioulos mais por curiosidade do que por interesse comercial. Mas, hoje, seus animais já brilham nas pistas de remates. O diretor e o narrador esportivo são também fazendeiros bem-sucedidos.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.