Mexicana Lala anuncia novo CEO

Reuters/Edgard Garrido

Mauricio Leyva, que terá a tarefa de fazer a Lala recuperar sua rentabilidade

A mexicana Lala, que controla a brasileira Vigor Alimentos, anunciou ontem que o colombiano Mauricio Leyva Arboleda será o novo CEO da empresa a partir de 1º de setembro deste ano em substituição ao executivo Scot Rank, que deixará o posto no dia 31 de agosto. Em comunicado enviado à Bolsa Mexicana de Valores, a Lala informou que Leyva assumirá o posto "para retomar o crescimento e reativar a rentabilidade" da empresa de lácteos.

"A nomeação de Mauricio Leyva confirma a confiança que temos no início de uma etapa que nos permitirá capitalizar os investimentos realizados nos últimos anos, retomar o crescimento e reativar a rentabilidade da Lala", afirma, no comunicado, Eduardo Tricio, presidente do conselho de administração da Lala e principal acionista da companhia. "Mauricio é um líder com ampla experiência em consolidação e crescimento rentável dos negócios".

Segundo o comunicado, Mauricio Leyva trabalhou mais de 13 anos na AB InBev. Deixará a fabricante de cervejas este mês, onde ocupa o posto de CEO do Grupo Modelo e de presidente de Middle América da AB InBev.

Conforme a Lala, o executivo "foi peça-chave na integração exitosa de SABMiller e na expansão de ‘Corona’ em nível internacional, na qual logrou manter crescimentos constantes de dois dígitos". A saída de Leyva da AB InBev já havia sido anunciada em junho passado.

O anúncio da saída de Rank ocorre depois de a Lala registrar resultados ruins no segundo trimestre deste ano. A empresa atribuiu o mau desempenho à paralisação dos caminhoneiros no Brasil no fim de maio, o que afetou suas operações, e à crise política na Nicarágua, onde também tem unidade. No segundo trimestre, o lucro da Lala caiu para US$ 20,6 milhões (considerando a aquisição da Vigor no quarto trimestre de 2017). No segundo trimestre de 2017, a Lala havia lucrado US$ 59,1 milhões.

As ações da companhia caíram ontem na bolsa após o anúncio. Os papéis fecharam a 19,53 pesos mexicanos, com queda de 1,21%.

No Brasil, a Vigor, controlada pela Lala, trava disputa com a Cooperativa Central dos Produtores Rurais de MG (CCPR) em função da venda da Itambé à Lactalis. A cooperativa, da qual a Vigor era sócia na Itambé, vendeu a empresa depois de recomprar sua participação. O negócio está sendo questionado pela Vigor na Justiça e em tribunal arbitral.

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *