Meta da agricultura familiar é vender R$ 1 milhão

Fonte: Jornal do Comércio | Marcelo Beledeli

MARCOS NAGELSTEIN/JC
 Ferrari já superou as vendas do ano passado
Ferrari já superou as vendas do ano passado

Com 207 expositores, o Pavilhão da Agricultura Familiar na Expointer atingiu neste ano um recorde de participantes. O espaço, que promove a comercialização de produtos oriundos de pequenos produtores, assentados da reforma agrária e agroindústrias, tem sido um dos grandes atrativos de público da feira desde sua criação, há 12 anos, apresentando um volume crescente de visitação e negócios.

Apenas no ano passado, a comercialização gerada pelo local atingiu R$ 800 mil. Para esta edição, a organização estima que as vendas cheguem a R$ 1 milhão. As perspectivas de bons lucros têm gerado um interesse crescente entre as agroindústrias familiares na participação na feira de agronegócios. No entanto, a seleção para os espaços é rigorosa. “As entidades de classe selecionam e indicam os produtores que apresentam qualidade necessária para participar, e então um comitê gestor define quais serão os expositores”, explica Ricardo Edson Fritsh, diretor do departamento de Agroindústria Familiar da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, que coordena o pavilhão.

Participando pela primeira vez da Expointer, a agrindústria Alto Camaquã, do interior de Bagé, espera alcançar bons negócios na feira. Produzindo doces, pães, geleias e biscoitos, a pequena empresa rural, fundada em fevereiro deste ano, pretende utilizar o evento para divulgar sua marca e obter contatos comerciais. “Essa é nossa primeira feira de grande porte, e além de vender para o público, queremos aproveitar para trocar ideias com outros produtores mais experientes”, afirma a agricultora Gilda Mara Soares Carvalho, que vende os produtos da marca no pavilhão junto com sua mãe, Maria de Fátima Pires Soares.

Expositores veteranos reconhecem a importância da participação na feira para os negócios. A agroindústria Alimentos Ferrari, de Carlos Barbosa, está presente na Expointer há 10 anos. “Ela ajudou muito em nossos negócios, aqui conseguimos vários clientes e fornecedores”, comenta Zair Ferrari, proprietário da empresa, que é fabricante de queijos e embutidos. Para este ano, a expectativa do produtor é otimista, com vendas que já superam 2010.

O produtor lembra que, no início de sua participação, o pavilhão da agricultura familiar ainda não existia, e a feira utilizava estandes de lona temporários. “Tinha poeira por todos os lados”, recorda. A construção do pavilhão melhorou a infraestrutura disponibilizada aos agricultores familiares, mas, segundo Ferrari, ainda existem melhorias que podem ser feitas para melhorar a participação dos produtores. Uma delas seria a disponibilização de alojamentos no parque Assis Brasil para os participantes. “Hoje, temos que nos deslocar para Esteio ou Porto Alegre, ou então improvisar. Eu mesmo dormi na minha camionete no estacionamento da Expointer de sábado para domingo”, informa.

Mas Ferrari reconhece que a experiência no evento de Esteio contribuiu para levar sua agroindústria a participar de outras feiras de grande porte fora do Estado, como em Brasília e no Rio de Janeiro. O sucesso nas vendas também tem se refletido no aumento na produção. Atualmente, a Alimentos Ferrari processa 1,5 mil litros de leite por dia e 500 quilos de carne por semana. Mas a meta é expandir esses números. “No caso do queijo, por exemplo, estamos elevando a produção, e precisamos encontrar parceiros que nos entreguem mais leite”, lembra Ferrari.

Amanhã, às 9h, haverá uma cerimônia de inauguração oficial do Pavilhão da Agricultura Familiar, que deve contar com a participação do ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence. Na solenidade, será assinada a Lei da Agroindústria Familiar, que isenta de pagamento de ICMS as agroindústrias e cooperativas que fornecem alimentação para a merenda escolar. Também será lançado, na ocasião, o Programa de Agroindústria Familiar – Sabor Gaúcho, para o qual serão utilizadas linhas de crédito do Pronaf. Os financiamentos poderão ser destinados para implantação, reforma ou ampliação das instalações, aquisição de equipamentos e capital de giro para as agroindústrias familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *