Merial, da Sanofi, investe € 9 milhões no país

Espanha, da Merial: “Brasil está se provando competitivo para exportação”
Mesmo em meio à crise política e econômica que assola o Brasil, a Merial, braço de saúde animal da farmacêutica francesa Sanofi, reforçou neste ano a aposta de fazer do país uma de suas principais plataformas de exportação.

Nesse sentido, afirmou ao Valor Jorge Espanha, presidente da subsidiária brasileira da Merial, a empresa está investindo apenas neste ano no país € 9 milhões (R$ 36,7 milhões ao câmbio de ontem) para duplicar sua capacidade de produção de medicamentos injetáveis voltados ao mercado de bovinos.

Na avaliação do executivo, o novo investimento mostra que a decisão de exportar a partir do Brasil é um acerto. "Essa foi uma aposta da Merial lá atrás, e o país está provando que seu custo [de produção] é competitivo para exportação". Espanha ressaltou que, nos últimos dez anos, a companhia já investiu cerca de € 115 milhões no Brasil.

Mas foi apenas nos últimos três anos que Merial acelerou o passo, segundo Espanha. Dentre os principais investimentos realizados nesse período, estão uma fábrica de vacinas contra o vírus da febre aftosa, orçada em € 55 milhões, e a construção de uma unidade de parasiticidas mastigáveis para cães, que custou cerca de € 35 milhões e foi inaugurada em 2014.

No caso da fábrica de vacinas contra febre aftosa, os aportes estão em curso e a previsão é que a unidade entre em operação comercial em 2017. Segundo Espanha, o gasto final na fábrica de vacina poderá ser menor, em euros, devido à depreciação do real.

Nos três investimentos, incluindo o mais recente, Espanha enfatiza a relevância das exportações. Localizada no parque fabril da empresa em Paulínia (SP), a unidade de parasiticidas mastigáveis exporta a maior parte de sua produção para os EUA. Mesmo em relação à febre aftosa, responsável pela maior parte da receita no mercado doméstico, ele enxerga potencial para exportar para países do continente africano.

Mais recente investimento, a nova linha de produção de medicamentos injetáveis – tais como ivermectina, antibióticos e parasiticidas – será voltada para o mercado externo, especialmente no caso de um parasicitida para bovinos que foi lançado recentemente nos EUA. "O produto foi um sucesso e tenho limitação de produção", argumentou Espanha. A previsão é que a nova linha de produção fique pronta no meio do ano.

Segundo o executivo, a Merial já exporta 45% do que é produzido no Brasil. Ao todo, a subsidiária da empresa no país faturou cerca de R$ 750 milhões em 2015, conforme fontes de mercado – a empresa não divulga resultados por país. O faturamento global da companhia supera € 2,5 bilhões, e o Brasil é seu terceiro principal mercado, atrás dos EUA e da França.

Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Fonte : Valor

Compartilhe!