MERCADO – Soja sobe, milho cai e boi estabiliza no Brasil; veja notícias desta terça

No mercado financeiro, investidores aguardam ata do Copom para saber a direção da taxa básica de juros da economia, a Selic

Boi: arroba segue com preços firmes

  • Milho: preços continuam fracos no início da semana
  • Soja: cotações voltam a subir acompanhando movimento em Chicago
  • Café: indicador do Cepea tem leve recuo
  • No exterior: bolsas miram resultados de empresas globais
  • No Brasil: mercado de juros e câmbio aguarda IPCA-15 e ata do Copom

Agenda:

  • Brasil: IPCA-15 de janeiro (IBGE)
  • Brasil: ata da última reunião do Copom (Banco Central)
  • EUA: confiança do consumidor de janeiro
Boi: arroba segue com preços firmes

Apesar do feriado na cidade de São Paulo e da estabilidade dos preços na região, a arroba do boi gordo seguiu em alta em outras localidades, de acordo com a consultoria Safras & Mercado. A cotação subiu em Dourados (MS) e passou de R$ 286 para R$ 290 por arroba, e em Uberaba (MG), onde saltou de R$ 293 para R$ 295.

Segundo os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), as exportações de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada chegaram a 24,55 mil toneladas na terceira semana de janeiro. No acumulado do mês, os embarques foram de 85,06 mil toneladas, resultando em uma média diária de 5,67 mil toneladas e um aumento de 6,68% na comparação anual.

Milho: preços continuam fracos no início da semana

O indicador do milho do Cepea, calculado com base nos preços praticados em Campinas (SP), registrou baixa pelo terceiro dia consecutivo. A saca passou de R$ 84,43 para R$ 83,87. Dessa forma, no acumulado de 2021, a valorização recuou de 8,6% na máxima do ano para 6,6% considerando a cotação informada nesta segunda-feira, 25, pelo instituto.

Na terceira semana de janeiro, o Brasil exportou 659,97 mil toneladas de milho e acumulou 1,9 milhão de toneladas embarcadas no mês. Com isso, a média diária exportada chegou a 126,87 mil toneladas e ficou 32,47% acima do registrado em janeiro de 2020

Soja: cotações voltam a subir acompanhando movimento em Chicago

A cotação da soja no mercado brasileiro voltou a subir seguindo o movimento de recuperação da oleaginosa negociada na Bolsa de Chicago. Segundo o levantamento de preços da consultoria Safras & Mercado, em Cascavel (PR), a saca subiu de R$ 163 para R$ 168; e foi de R$ 164 para R$ 168 no porto de Paranaguá (PR).

A colheita ainda incipiente e a escassez de soja no Brasil seguem refletidos nos dados da balança comercial. Na terceira semana de janeiro, não houve volume exportado de soja. Com isso, no acumulado do mês os embarques seguem em apenas 17,50 mil toneladas. O que resulta em uma média diária de 1,16 mil toneladas e está 98,16% abaixo do mesmo período do ano passado.

Café: indicador do Cepea tem leve recuo

O indicador do café arábica do Cepea teve um leve recuo e passou de R$ 658,67 para R$ 657,46 por saca, uma queda diária de 0,18%. Os preços seguiram o movimento registrado em Nova York, onde o contrato para março caiu de US$ 1,2405 para US$ 1,2325 por libra-peso. Dessa forma, no acumulado do ano, a cotação chegou a uma alta de 8,4%.

Os investidores monitoram o avanço da pandemia em economias importantes para rastrear os efeitos na demanda global por café. Alguns países da Europa estão endurecendo as medidas de restrição à circulação de pessoas e caso isso seja estendido por mais tempo, é provável que os preços sofram maiores pressões negativas.

No exterior: bolsas miram resultados de empresas globais

Em semana de divulgação de resultado de grandes empresas globais, as bolsas operam mirando os balanços financeiros na expectativa de dados melhores ou piores do que os projetados inicialmente. Também está no radar do mercado a dificuldade que países da Europa estão encontrando de garantir o fornecimento adequado de doses das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca.

Na semana passada, a Pfizer reduziu a quantidade a ser entregue e justificou que a medida busca aumentar sua capacidade de produção. Nesta semana, a União Europeia pode aprovar o uso da vacina produzida pela AstraZeneca, porém, a empresa precisa esclarecer ao bloco a quantidade exata de doses que será capaz de fornecer.

No Brasil: mercado de juros e câmbio aguarda IPCA-15 e ata do Copom

Os destaques da agenda de indicadores econômicos no Brasil nesta terça-feira são as divulgações do IPCA-15 e da ata da última reunião do Copom. O mercado de juros aguarda o resultado da inflação para atualizar as apostas para a taxa Selic nos próximos encontros dos diretores do Banco Central. Os investidores estarão atentos a sinais de que o aumento dos preços das commodities agrícolas está sendo repassado para outros itens da cesta.

Em relação à ata do Copom, os investidores buscarão sinalizações da autoridade monetária para os próximos passos da política de juros. No comunicado da semana passada, os diretores retiraram o trecho do texto que previa a taxa Selic inalterada até que as projeções de inflação retornassem à meta.

Por Felipe Leon, com agências de notícias

Fonte : Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *