MERCADO – Milho: indicador do Cepea sobe 4,5% no acumulado da semana; veja as notícias desta segunda

No acumulado do ano, o indicador valorizou 22,33%. Em 12 meses, os preços alcançaram 91,23% de alta

Boi: arroba fica estável após leve baixa

  • Milho: saca sobe 4,5% na semana no indicador do Cepea

  • Soja: cotação recua em Paranaguá (PR)

  • Café: preços ficam estáveis Brasil, apesar de queda em Nova York

  • No exterior: mercados globais se recuperam

  • No Brasil: ações brasileiras sobem no exterior em dia de bolsa fechada com feriado

Agenda:

  • Brasil: relatório focus (Banco Central)
  • Brasil: balança comercial das duas primeiras semanas de julho

  • EUA: inspeções de exportação semanal (USDA)

Boi: arroba fica estável após leve baixa

Um dia após apresentar leve baixa no mercado brasileiro, a arroba do boi gordo encerrou a semana com cotações estáveis, de acordo com a consultoria Safras & Mercado. Em São Paulo, a arroba ficou em R$ 318, na modalidade a prazo. O mercado aguarda sinais da demanda, sobretudo da China, para as próximas movimentações.

Segundo o analista Fernando Iglesias, a semana se encerrou com bastante lentidão em virtude da ausência dos frigoríficos nas compras. Ainda de acordo com ele, as escalas de abate seguem avançando e isso resulta em queda das indicações de preços, sobretudo no Centro Sul. A exceção fica por conta do Rio Grande do Sul que ainda observa cenário de oferta restrita

Milho: saca sobe 4,5% na semana no indicador do Cepea

O indicador do milho do Cepea teve uma alta acumulada de 4,5% na semana, ainda reagindo às perdas de produção da safrinha em decorrência das geadas. A cotação variou 0,29% em relação ao dia anterior e passou de R$ 95,93 para R$ 96,21 por saca. Assim sendo, no acumulado do ano, o indicador valorizou 22,33%. Em 12 meses, os preços alcançaram 91,23% de alta.

Por outro lado, em Chicago, os contratos futuros do milho chegaram ao quarto pregão consecutivo de baixa. O vencimento para dezembro recuou 1,26% e passou de US$ 5,236 para US$ 5,17 por bushel. Dessa forma, no acumulado da semana, o contrato para dezembro caiu 10,8%, de forma que o movimento foi causado pela previsão de chuvas em regiões produtoras nos Estados Unidos.

Soja: cotação recua em Paranaguá (PR)

O indicador da soja do Cepea para o porto de Paranaguá (PR) teve um dia de baixa dos preços. A cotação variou -0,78% em relação ao dia anterior e passou de R$ 166,31 para R$ 165,02 por saca. Dessa forma, no acumulado do ano, o indicador valorizou 7,23%. Em 12 meses, os preços alcançaram 42,26% de alta.

Em Chicago, por outro lado, o pregão foi marcado por um dia de alta das cotações da soja. O vencimento para novembro subiu 0,74% e passou de US$ 13,194 para US$ 13,292 por bushel. O mercado operou com valorização se preparando para o relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Café: preços ficam estáveis Brasil, apesar de queda em Nova York

De acordo com a consultoria Safras & Mercado, apesar da queda em Nova York, os preços do café ficaram estáveis no Brasil. No sul de Minas Gerais, o arábica bebida boa com 15% de catação ficou estável em R$ 830/835, enquanto que no cerrado mineiro, o bebida dura com 15% de catação ficou inalterado em R$ 835/840 por saca.

Como dito anteriormente, o café arábica negociado na bolsa de Nova York voltou a recuar após dois dias de alta. O vencimento para setembro caiu 0,49% e passou de US$ 1,5225 para US$ 1,515 por libra-peso. No acumulado da semana, o contrato teve uma baixa de 1,0%, mas conseguiu se sustentar acima de US$ 1,50 por libra-peso.

No exterior: mercados globais se recuperam

A semana terminou com recuperação dos mercados globais após a forte queda observada na última quinta-feira, 8, com apreensão em relação ao aumento de casos de Covid-19 em alguns países que têm vacinação avançada. Apesar disso, o tema segue no radar dos investidores, pois qualquer medida de restrição à circulação de pessoas pode impactar a velocidade da recuperação econômica.

Entre as bolsas norte-americanas, o Dow Jones avançou 1,30% e o S&P 500, 1,13%, de forma que este voltou a bater um novo recorde histórico. O Nasdaq, índice de ações de empresas de tecnologia, subiu 0,98%. No acumulado da semana, os três tiveram resultado positivo, sendo que o S&P 500 alcançou a sexta semana de alta entre as últimas sete.

No Brasil: ações brasileiras sobem no exterior em dia de bolsa fechada com feriado

Em virtude do feriado estadual em São Paulo, a bolsa brasileira esteve fechada. Com isso, a referência passou a ser os índices de ações de empresas brasileiras no exterior. Um dos principais índices subiu 1,5% na comparação diária e sinaliza para uma boa probabilidade de alta para hoje, segunda-feira, 12, para o Ibovespa.

A boa performance das empresas brasileiras nas bolsas do exterior foi influenciada pela recuperação dos mercados globais, após a forte queda do dia anterior. Nesta semana, o destaque da agenda macroeconômica é a divulgação do IBC-Br de maio pelo Banco Central. O indicador é calculado para trazer uma prévia da variação do PIB mensal, já que o IBGE calcula apenas de maneira trimestral.

Por Felipe Leon, com agências de notícias

Fonte : Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *