MERCADO E CIAMILHONOTÍCIAS – FECHAMENTO DO MERCADO – Soja tem pior nível em 4 meses e mercado trava

Fonte:Divulgação / Pixabay

Cotações do grão na Bolsa de Chicago tiveram pouca variação diante das fortes quedas dos últimos dias

 

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam com pouca variação. A perspectiva de safra recorde americana seguiu pressionando o mercado. Recentemente, os contratos atingiram os menores níveis em quatro meses, relata a consultoria Safras & Mercado.
No mercado brasileiro, a soja teve uma quarta-feira de preços mistos, variando de região para região. Houve poucos negócios, e o mercado teve dificuldades, mais uma vez, para encontrar melhor direcionamento.

Soja na Bolsa de Chicago (CBOT) (US$ por bushel)

Novembro/16: 9,42 (-1,25 centavos)
Março/17: 9,51 (-1,25 centavos)
Soja no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)
Passo Fundo (RS): 77,00
Cascavel (PR): 79,00
Rondonópolis (MT): 75,00
Dourados (MS): 73,00
Porto de Paranaguá (PR): 81,00
Porto de Rio Grande (RS): 80,00
Milho
O mercado brasileiro de milho voltou a se deparar com lentidão no decorrer do dia. O analista Fernando Henrique Iglesias, de Safras & Mercado, afirma que essa é a tendência da semana. “Tanto compradores quanto produtores recuam em suas intenções no mercado, aguardando por algum fato novo para enfim retomar as negociações”, aponta.
A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou as operações desta quarta com preços mais altos. O mercado se recuperou após três sessões consecutivas de perdas, mas seguiu pressionado pelo relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), mantendo a perspectiva de safra recorde.

Milho na Bolsa de Chicago (CBOT) (US$ por bushel)

Dezembro/16: 3,31 (-1,75 centavos)
Maio/17: 3,50 (-2,00 centavos)
Milho no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)
Rio Grande do Sul: 50,00
Paraná: 38,00
Campinas (SP): 44,00
Mato Grosso: 32,00
Porto de Santos (SP): 35,00
Porto de Paranaguá (PR): 34,00
Café
O mercado físico brasileiro de café teve uma quarta-feira de preços entre estáveis a mais altos. A leve alta do arábica na Bolsa de Nova York e a subida do dólar deram sustentação às cotações no país. O ritmo de negócios, entretanto, diminuiu em relação aos últimos dias.
Café arábica em Nova York (centavos por libra-peso)
Setembro/16: 148,90 (+0,50 pontos)
Março/17: 152,10 (+0,50 pontos)
Café conilon (robusta) em Londres (US$ por tonelada)
Novembro/16: 1942,00 (-1,00 dólares)
Janeiro/17: 1960,00 (+1,00 dólares)
Café no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)
Arábica/bebida boa – Sul de MG: 515-520
Arábica/bebida boa – Cerrado de MG: 515-525
Arábica/rio tipo 7 – Zona da Mata de MG: 415-420
Conilon/tipo 7 – Vitória (ES): 430-435
Dólar e Bovespa
O dólar subiu pelo segundo pregão seguido, revelando alta de 0,79%, com a moeda cotada a R$ 3,341. O índice Bovespa se recuperou do tombo desta terça, dia 13, e valorizou 0,42%, aos 57.059 pontos.

  • Rikardy Tooge, com informações da Safras & Mercado
  • Fonte : Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *