MERCADO E CIAAGRICULTURANOTÍCIAS – FECHAMENTO DO MERCADO – Após Chicago subir, soja tem melhor volume de negócios no Brasil

Fonte:Pixabay

  • Aproximadamente 50 mil toneladas trocaram de mãos no mercado físico. No mercado futuro do milho, o dia também foi de alta; acompanhe o fechamento do mercado

Após Chicago mudar de direção e subir, o mercado brasileiro de soja teve uma melhor movimentação e com preços predominantemente mais altos. Durante o dia, aproximadamente 50 mil toneladas trocaram de mãos.

Soja no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)

  • Passo Fundo (RS): 66,50

  • Cascavel (PR): 66,00

  • Rondonópolis (MT): 62,00

  • Dourados (MS): 62,00

  • Porto de Paranaguá (PR): 71,50

  • Porto de Rio Grande (RS): 71,00

  • Santos (SP): 71,50

  • São Francisco do Sul (SC): 71,00

Soja na Bolsa de Chicago (CBOT) (US$ por bushel)

  • Novembro/2017: 9,65 (+2,00 cents)

  • Janeiro/2018: 9,76 (+2,25 cents)

Milho

A Bolsa de Mercadorias de Chicago(CBOT) para o milho registrou preços mais altos. O cereal reverteu acompanhando a recuperação técnica da soja, apesar da valorização do dólar frente a outras moedas, fator que tira a competitividade das commodities dos Estados Unidos no cenário internacional.
O indicativo de chuvas no Brasil na próxima semana, que poderiam beneficiar o cultivo do cereal e atenuar um pouco as preocupações com os atrasos na semeadura devido à seca atuaram como fator de contenção dos ganhos.

Milho no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)

  • Rio Grande do Sul: 31,00

  • Paraná: 27,00

  • Campinas (SP): 29,50

  • Mato Grosso: 20,00

  • Porto de Santos (SP): 29,5

  • Porto de Paranaguá (PR): 28,50

  • São Francisco do Sul (SC): 29,50

Milho na Bolsa de Chicago (CBOT) (US$ por bushel)

  • Dezembro/2017: 3,54 (+1,75 cent)

  • Março/2018: 3,66 (+1,50 cent)

Café

O mercado brasileiro de café teve uma quarta-feira de preços de estáveis a mais baixos. As cotações foram pressionadas pela queda do arábica em Nova York, mas os declínios foram pequenos porque o dólar compensou, além da oferta curta. Apenas o rio teve melhora nas referências.
A Bolsa Internacional de Finanças e Futuros de Londres para o café robusta também encerrou as operações da quarta-feira com preços mais baixos. No dia, os contratos com entrega em novembro fecharam a US$ 1.950 por tonelada, com baixa de US$ 49 a tonelada, ou de 2,4%. Para janeiro/18, Londres fechou a US$ 1.931 a tonelada, com perda de US$ 43, ou de 2,2%.
Dezembro 129,35 – 2,90
Março 132,95 – 2,90

Café no mercado físico (R$ por saca de 60 kg)

  • Arábica/bebida boa – Sul de MG: 455-460

  • Arábica/bebida boa – Cerrado de MG: 465-470

  • Arábica/rio tipo 7 – Zona da Mata de MG: 410-415

  • Conilon/tipo 7 – Vitória (ES): 390-395

Café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) (cents por libra-peso)

  • Dezembro/2017: 129,35 (-2,90 cent)

  • Março/2018: 132,95 (-2,90 cent)

Dólar e Ibovespa

O dólar comercial encerrou as negociações de hoje com alta de 0,82%, sendo cotado a R$ 3,1920 para compra e a R$ 3,1940 para venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,1820 e a máxima de R$ 3,1990.
O Ibovespa encerrou com queda de 0,7%, aos 73796,71 pontos. O volume negociado foi de R$ R$ 9,301 bilhões.

Fonte : Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *