MERCADO – Chicago e câmbio se anulam e preço da soja cai no Brasil

Algumas praças do país chegaram a registrar queda de até R$ 1,50 por saca. Nesta terça o contraste se repete, enquanto a Bolsa sobe, o dólar cai

Cotação da sojaCotação da soja

O mercado brasileiro de soja teve um dia sem negócios relevantes e de pequenas alterações nos preços, sem um direcionamento. O dólar caiu forte, mas Chicago compensou subindo na mesma proporção. Com isso, os negociadores optaram por uma postura mais defensiva, tornando lenta a movimentação.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos caiu de R$ 73,50 para R$ 73. Na região das Missões, a cotação baixou de R$ 73 para R$ 72,50 a saca. No porto de Rio Grande, preço recuou de R$ 78 para R$ 77,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço ficou em R$ 72. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 77,50 para R$ 78.

Em Rondonópolis (MT), a saca caiu de R$ 69,50 para R$ 69. Em Dourados (MS), a cotação passou de R$ 68 para R$ 67,50. Em Rio Verde (GO), a saca baixou de R$ 70 para R$ 68,50.

Chicago e câmbio na segunda

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago fecharam a segunda-feira com preços mais altos. Após atingir na sexta os menores níveis em cinco meses, um movimento de cobertura de posições vendidas, com base em fatores técnicos, assegurou a recuperação.

Segundo a consultoria Safras & Mercado, o anúncio de uma nova venda de soja americana para a China, dessa vez de 828 mil toneladas, ajudou a impulsionar os contratos. O sentimento entre os investidores nesse início de semana é de que as conversas entre representantes chineses e americanos em busca de um acordo comercial avançaram bem.

Com isso, os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com alta de 11,25 centavos de dólar ou 1,27%, a US$ 8,95 por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 9,08 por bushel, perda de 11,00 centavos ou 1,22%.

Nos subprodutos, a posição maio do farelo fechou com alta de US$ 2,90 ou de 0,94%, sendo negociada a US$ 309,40 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em maio fecharam a 28,57 centavos de dólar, com ganho de 0,21 centavo ou 0,74%.

O dólar comercial encerrou a sessão de segunda, dia 1, com queda de 1,04%, sendo negociado a R$ 3,8760 para venda e a R$ 3,8740 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,8650 e a máxima de R$ 3,8930.

Chicago e câmbio nesta terça

Os contratos da soja em grão registram preços mais altos nas negociações em Chicago nesta terça-feira, dia 2. Segundo a consultoria Safras o mercado volta a buscar suporte no maior otimismo de que um acordo entre a China e os Estados Unidos seja fechado.

Os contratos com vencimento em maio de 2019 operam cotados a US$ 8,97 por bushel, elevação de 2,00 centavos de dólar por bushel ou 0,16%.

O dólar comercial abriu a sessão desta terça-feira, dia 2, com queda de 0,33%, sendo negociado a R$ 3,8630 para venda e a R$ 3,8610 para compra. A moeda norte-americana oscila entre a mínima de R$ 3,8500 e a máxima de R$ 3,8650.

Por Daniel Popov, de São Paulo

Fonte : Canal Rural

Compartilhe!