MERCADO – Boi e milho sobem mas soja tem preços mistos; veja notícias desta sexta

Mercado financeiro dos EUA abre o dia em queda com medo de endividamento do governo; capital estrangeiro segue forte na bolsa brasileira

Por Felipe Leon, com agências de notícias

  • Boi: indicador do Cepea rompe R$ 290 por arroba pela primeira vez desde novembro
  • Milho: preços mantêm firmeza com boa sinalização de demanda
  • Soja: mercado segue misto com Chicago e câmbio em direções opostas
  • Café: arábica tem novas altas no Brasil e no exterior
  • No exterior: Joe Biden anuncia novo pacote de estímulos nos EUA
  • No Brasil: fluxo de capital estrangeiro segue forte na bolsa brasileira

Agenda:

  • Brasil: IGP-10 de janeiro (FGV)
  • Brasil: dados das lavouras do Mato Grosso (Imea)
  • EUA: produção industrial de dezembro (FED)
Boi: indicador do Cepea rompe R$ 290 por arroba pela primeira vez desde novembro

O indicador do boi gordo do Cepea rompeu os R$ 290 por arroba pela primeira vez desde 16 de novembro de 2020. A cotação passou de R$ 285,95 para R$ 290,20 por arroba, uma alta diária de 1,49%. Dessa forma, no acumulado de 2021, os preços já subiram 8,63%.

Na B3, após os contratos futuros do boi gordo terem recuado no dia anterior, o mercado observou preços mais altos no pregão de quinta-feira, 14. O vencimento para janeiro passou de R$ 288,90 para R$ 289,85 e o para fevereiro subiu de R$ 286,20 para R$ 290.

Milho: preços mantêm firmeza com boa sinalização de demanda

O mercado brasileiro de milho se encaminha para encerrar a semana com preços firmes e forte avanço na comparação semanal. De acordo com a consultoria Safras & Mercado, há pouca fixação de oferta por parte dos vendedores e muita atividade dos compradores, o que sinaliza uma boa demanda pelo produto.

No exterior, o milho negociado na Bolsa de Chicago teve mais um dia de altas expressivas e também está sendo impulsionado por sinalização de boa demanda pelo grão norte-americano. O USDA reportou fortes números de exportações de milho dos EUA. Outros fatores que ajudam as cotações são as preocupações com a oferta global em virtude do clima na América do Sul.

Soja: mercado segue misto com Chicago e câmbio em direções opostas

O mercado brasileiro de soja segue misto, ou seja, com algumas regiões registrando altas enquanto outras têm baixas. Isso se deve ao fato de que, nos últimos dias, o câmbio e Chicago têm variado em direções opostas. Desta vez, a soja negociada na Bolsa de Chicago teve nova valorização enquanto o dólar se desvalorizou em relação ao real.

De acordo com o levantamento diário de preços da Safras & Mercado, a saca subiu em Dourados (MS), Passo Fundo (RS) e Uberlândia (MG). Por outro lado, recuos foram observados em Rio Verde (GO), Rondonópolis (MT), Sorriso (MT) e Rio Grande (RS).

Café: arábica tem novas altas no Brasil e no exterior

O café arábica teve um novo dia de avanços no Brasil e no exterior. Na Bolsa de Nova York, o contrato para março passou de US$ 1,2525 para US$ 1,2735, na máxima de fechamento do ano, em uma alta de 1,7%. A recuperação das quedas dos primeiros dias do ano vem na esteira da melhora da expectativa dos mercados globais.

O indicador do café arábica do Cepea ignorou a forte queda do dólar em relação ao real e avançou pelo terceiro dia consecutivo. Dessa forma, renovou a máxima histórica da série de preços. A saca subiu de R$ 632,25 para R$ 638,60 e acumula uma alta de 5,3% em 2021.

No exterior: Joe Biden anuncia novo pacote de estímulos nos EUA

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou um novo pacote de estímulos que no total podem somar até US$ 1,9 trilhão. Além disso, em fevereiro, uma nova rodada pode ser anunciada. Os mercados não reagiram bem à notícia e abrem esta sexta-feira, 15, em queda. Se por um lado talvez esperassem valores maiores, por outro, os investidores podem estar começando a se preocupar com uma elevação muito acelerada do endividamento nos EUA.

O pacote incluirá, de acordo com Biden, o pagamento direto de US$ 1.400 à maioria da população e que se somará aos US$ 600 já pagos a partir do plano aprovado em dezembro. Dessa forma, o valor pago chegaria a US$ 2000 e seria semelhante ao utilizado na primeira onda da pandemia.

No Brasil: fluxo de capital estrangeiro segue forte na bolsa brasileira

Assim como no final de 2020, a entrada de capital estrangeiro na bolsa brasileira segue muito forte no início de 2021. Até o dia 12 de janeiro, último dado divulgado, os investidores estrangeiros ingressaram com R$ 15,135 bilhões no mercado acionário brasileiro.

O investimento estrangeiro tem ocorrido mesmo em meio a preocupações com o risco fiscal e piora da pandemia. Com esse apoio de capital, a bolsa brasileira tem conseguido se manter acima dos 120 mil pontos e chegou até mesmo a superar os 125 mil pontos nesta semana.

Fonte : Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *