MERCADO – As notícias que você precisa saber agora para começar bem a terça-feira

Cotações do milho sobem no mercado físico e futuro no Brasil mesmo com a isenção da Tarifa Externa Comum (TEC)

Boi: futuros sobem novamente e ficam acima de R$ 280 por arroba

  • Milho: cotações têm alta apesar da isenção da TEC

  • Soja: valor médio no Paraná supera o do porto de Paranaguá no indicador do Cepea

  • Café: arábica recua no Brasil com dólar e Nova York

  • No Exterior: republicanos e democratas têm prazo apertado para acordo fiscal nos EUA

  • No Brasil: bolsa chega a operar novamente próxima dos 100 mil pontos com diminuição do ruído político

Agenda:

  • Brasil: desenvolvimento das lavouras do Paraná (Deral)

  • Brasil: segunda prévia do IGP-M de outubro

  • EUA: dados do mercado imobiliário norte-americano

Boi: futuros sobem novamente e ficam acima de R$ 280 por arroba

Os contratos futuros do boi gordo na B3 voltaram a subir e os vencimentos para novembro e dezembro tiveram ajuste acima de R$ 280 por arroba pela primeira vez. O primeiro passou de R$ 279,45 para R$ 282,20 enquanto que o segundo passou de R$ 277,95 para R$ 281,55. Com a chegada da segunda quinzena do mês, o consumo interno pode perder um pouco de força e deixar novas altas para o início de outubro.

De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior, as exportações de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada tiveram recuo de 4,3% entre a segunda e a terceira semana de outubro. Foram embarcadas 8,22 mil toneladas por dia nos 11 dias úteis do mês. Ainda assim, caso o ritmo seja mantido, há a possibilidade de que o recorde histórico da série seja batido

Milho: cotações têm alta apesar da isenção da TEC

As cotações do milho avançaram tanto no mercado físico quanto no mercado futuro mesmo com a isenção da Tarifa Externa Comum que incide sobre o cereal importado de países de fora do Mercosul. Na B3, os preços já se aproximam de R$ 78 por saca para os contratos de novembro de 2020 e janeiro de 2021. No mercado físico, a consultoria Safras & Mercado registrou avanço por conta do clima com alguns produtores aguardando chuvas para o plantio da safra de verão.

A média diária exportada de milho recuou 9,2% na comparação semanal, refletindo um mercado interno disputando um volume maior com o mercado externo. Dessa forma, o total embarcado em outubro deste ano pode ficar abaixo do registrado no mesmo período do ano passado.

Soja: valor médio no Paraná supera o do porto de Paranaguá no indicador do Cepea

O valor da soja no indicador do Cepea que calcula uma média para o estado do Paraná ficou acima do índice de preços do porto de Paranaguá pela primeira vez em seis anos. A saca ficou em R$ 159,84 na média do estado e em R$ 157,91 no porto. De acordo com os pesquisadores do instituto, a baixa disponibilidade da oleaginosa e os preços internos em patamares recordes fazem a soja brasileira ficar menos atrativa aos importadores. Com isso, as cotações no mercado interno ficam mais próximas das dos portos.

Estes fatores se refletem também no volume exportado pelo Brasil. A média diária embarcada já cai 31,9% em outubro na comparação com setembro. Se o ritmo for mantido até o final do mês, a expectativa é de embarque de cerca de 3 milhões de toneladas em comparação com as 5 milhões exportadas em outubro de 2019.

Café: arábica recua no Brasil com dólar e Nova York

As cotações do café arábica recuaram no Brasil acompanhando as quedas do dólar e dos futuros em Nova York. A consultoria Safras & Mercado registrou que o arábica bebida boa com 15% de catação no Sul de Minas Gerais ficou cotado a R$ 510/515, contra R$ 515/520 no dia anterior. Já o indicador do Cepea passou de R$ 538,88 para R$ 534,97 por saca.

Apesar das dificuldades que algumas cooperativas têm enfrentado em relação aos contêineres usados para exportação, o volume embarcado de café não torrado nas três primeiras semanas de outubro ficou 29,1% acima do registado no mesmo mês do ano passado.

No Exterior: republicanos e democratas têm prazo apertado para acordo fiscal nos EUA

Se encerra hoje o prazo final dado pelo Partido Democrata norte-americano para que um acordo sobre os estímulos fiscais seja atingido a tempo de sua aprovação antes das eleições presidenciais em 3 de novembro. Os investidores iniciaram a semana com otimismo renovado, mas a falta de avanço concreto nas negociações esfriou as possibilidades e geraram perdas expressivas nos mercados ontem, segunda-feira, 19.

No Brasil: bolsa chega a operar novamente próxima dos 100 mil pontos com diminuição do ruído político

No pregão de ontem, o Ibovespa, índice da Bolsa Brasileira, chegou a operar novamente próximo dos 100 mil pontos na máxima do dia. O alinhamento entre o Ministro Paulo Guedes e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e de Guedes com o presidente Jair Bolsonaro, trouxe um pouco de alívio ao mercado brasileiro. Os investidores seguem monitorando as propostas fiscais do Governo e do Congresso, mas reconhecem que o discurso melhorou em relação a algumas semanas atrás, quando parecia que o caminho poderia ser de aumento de despesas obrigatórias sem contrapartidas.

Por Felipe Leon, com agências de notícias

Fonte : Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *