MERCADO – As notícias que você precisa saber agora para começar bem a terça-feira

Soja tem indicações de saca a R$ 156 no interior do Rio Grande do Sul, de acordo com a consultoria Safras & Mercado

Boi: arroba segue firme ao redor de R$ 250

  • Milho: câmbio fortalece novamente preços nos portos
  • Soja: cotações disparam e há indicações de saca a R$ 156 no interior do RS, diz Safras
  • USDA: condições das lavouras americanas de milho têm melhora e ficam estáveis para soja
  • No Exterior: mercados aguardam novas sinalizações do Banco Central dos EUA
  • No Brasil: Bolsonaro abre Assembleia Geral da ONU
Agenda:
  • Brasil: ata da última reunião do Copom
  • EUA: venda de moradias usadas em agosto
  • EUA: estoques semanais de petróleo e derivados
Boi: arroba segue firme ao redor de R$ 250

A arroba do boi gordo segue firme ao redor de R$ 250 em São Paulo. Com avanços pontuais em outras regiões, o diferencial de base em relação às praças paulistas continua se reduzindo. No indicador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), a cotação se recuperou da queda do fim da semana passada e ficou em R$ 249,85. Na B3, o dia foi marcado por ajustes negativos e a curva recuou 0,42% em média.

Nesta segunda-feira, 21, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgou os dados da balança comercial da terceira semana de setembro. As exportações de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada perderam ritmo. A média diária embarcada passou de 8,21 mil toneladas na segunda semana para 7,26 mil na terceira, recuo de 12%. Caso esse ritmo seja mantido no restante do mês, o volume embarcado deve ser o maior para um mês de setembro, mas ficaria distante do recorde geral da série.

Milho: câmbio fortalece novamente preços nos portos

O mercado brasileiro segue se recuperando na esteira da alta do dólar. Os preços nos portos brasileiros foram elevados e as ofertas de venda diminuíram. No levantamento diário da consultoria Safras & Mercado, as cotações no porto de Santos (SP) passaram de R$ 62 para R$ 64 e no porto de Paranaguá (PR), de R$ 62 para R$ 65.

As exportações brasileiras de milho recuaram novamente na passagem da semana. A média diária passou de 384,26 mil toneladas para 350,32 mil, recuo de 9%. De acordo com a Agrifatto, o movimento pode ser explicado pela atratividade dos preços domésticos. Por isso, o milho que estava destinado ao mercado externo volta ao interno para aproveitar a competitividade das cotações.

Soja: preços disparam e há indicações de saca a R$ 156 no interior do RS, diz Safras

Com o dólar avançando novamente e chegando a encostar em R$ 5,50 na parte da manhã, os preços da soja seguiram em disparada no mercado interno. Esse movimento ocorreu apesar da queda em Chicago. De acordo com a consultoria Safras & Mercado, já houve indicações de saca a R$ 156 no interior do Rio Grande do Sul com entrega para janeiro. Em Passo Fundo (RS), a saca passou de R$ 147 para R$ 150 e no porto de Paranaguá (PR) saltou de R$ 141 para R$ 150.

Em relação às exportações, o volume voltou a crescer e a média diária avançou 14% para 224,81 mil toneladas. Caso o ritmo seja mantido até o fim de setembro, o recorde para o mês pode ser batido com mais de 4,7 milhões de toneladas embarcadas. Apesar da pouca disponibilidade de soja no país, as altas nos preços têm gerado migração da demanda doméstica para produtos substitutos.

No exterior: mercados aguardam novas sinalizações do Banco Central dos EUA

Os mercados globais operam próximos da estabilidade no aguardo do pronunciamento do presidente do banco central dos Estados Unidos, Jerome Powell, no Congresso norte-americano marcado para esta terça-feira, 22. A expectativa é que Powell sinalize os limites da atuação da política monetária na retomada econômica, enfatizando a necessidade de que a política fiscal seja mais acionada.

Os investidores seguem monitorando as especulações em relação às investigações contra grandes bancos globais e o aumento de casos de coronavírus na Europa. Os dois temas aumentam a incerteza sobre a retomada da economia mundial e preocupa os mercados

No Brasil: Bolsonaro abre Assembleia Geral da ONU

O presidente Jair Bolsonaro abre, nesta terça, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em discurso virtual. A expectativa é que o presidente responda às críticas à política ambiental de seu governo.

Também será divulgada a ata da última reunião do Conselho de Política Monetária (Copom). Nela, os diretores do Banco Central devem sinalizar novamente a intenção de deixar a taxa Selic em níveis baixos até que as projeções e expectativas de inflação estejam próximas à meta.

Por Felipe Leon, com agências de notícias

Fonte : Canal Rural

Compartilhe!