MERCADO – As notícias que você precisa saber agora para começar bem a sexta-feira

Preços das commodities agrícolas apresentam estabilidade no Brasil e mercados globais voltam a monitorar segunda onda de coronavírus

  • Boi: arroba se estabiliza ao redor de R$ 290 no físico e no futuro

  • Milho: preços ficam ligeiramente mais baixos no Brasil

  • Soja: com poucos negócios, cotação volta a R$ 185 em Rio Verde (GO)

  • Café: arábica tem novas altas no exterior e fica estável no Brasil

  • No Exterior: cautela nos mercados com segunda onda de coronavírus

  • No Brasil: dados de atividade econômica são destaque na agenda

Agenda:
  • Brasil: IBC-Br de setembro (Banco Central)

  • Brasil: dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso (Imea)

  • EUA: exportações semanais de grãos (USDA)

Boi: arroba se estabiliza ao redor de R$ 290 no físico e no futuro

A arroba do boi gordo teve um dia marcado pela estabilidade no mercado físico e no futuro com pouca variação nos preços. As cotações seguem ao redor de R$ 290. A Scot Consultoria registrou cautela nos mercados, com os frigoríficos definindo estratégias para as compras dos próximos dias.

O indicador do boi gordo do Cepea recuou de R$ 292 para R$ 288,55 por arroba, enquanto que o contrato para novembro subiu de R$ 288,5 para R$ 289,5. O vencimento para dezembro, por outro lado, caiu de R$ 286,1 para R$ 285,45.

Milho: preços ficam ligeiramente mais baixos no Brasil

De acordo com o levantamento diário da consultoria Safras & Mercado, o mercado brasileiro de milho teve um dia marcado por preços entre estáveis e ligeiramente mais baixos. Segundo o consultor da empresa, Paulo Molinari, houve uma maior oferta pontual, mas sem grandes destaques.

O indicador do milho do Cepea recuou de R$ 80,58 para R$ 80,55 por saca. Na B3, os contratos futuros tiveram o segundo dia consecutivo de baixas com o ajuste do novembro passando de R$ 81 para R$ 80,18 e do dezembro de R$ 82,43 para R$ 80,11. No exterior, a queda também foi acentuada e o contrato para dezembro na bolsa de Chicago caiu mais de 2%.

Soja: com poucos negócios, cotação volta a R$ 185 em Rio Verde (GO)

O mercado brasileiro de soja segue com poucos negócios e apenas preços nominais com oscilações regionalizadas, de acordo com a consultoria Safras & Mercado. Após as altas que seguiram o relatório do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), os preços em Chicago recuaram com realização dos lucros. No Brasil, o câmbio voltou a subir de maneira consistente e se aproximou novamente dos R$ 5,50.

No levantamento diário de preços da Safras & Mercado, a saca de soja em Rio Verde (GO) voltou ao patamar de R$ 185, subindo de R$ 180 em um dia. Já o indicador da oleaginosa do Cepea para o porto de Paranaguá recuou de maneira expressiva de R$ 170,97 para R$ 162,27.

Café: arábica tem novas altas no exterior e fica estável no Brasil

Os futuros do café arábica avançaram novamente na Bolsa de Nova York. O contrato para dezembro passou de US$ 1,1195 para US$ 1,1295 por libra-peso, uma alta diária de 0,89%.

No Brasil, apesar da valorização no exterior e da desvalorização do real frente o dólar, as cotações ficaram estáveis. Ainda assim, o mercado apresentou uma maior movimentação, mas com negócios em menor volume. No levantamento diário da Safras & Mercado, o arábica bebida boa com 15% de catação ficou estável em R$ 540/545 por saca.

No Exterior: cautela nos mercados com segunda onda de coronavírus

Após fortes altas com especulações em relação ao final das eleições americanas, a cautela retorna aos mercados com preocupações em torno da segunda onda de coronavírus nos Estados Unidos e Europa. Nos EUA, um novo recorde diário de contaminações foi registrado e alguns estados como Illinois começaram a adotar medidas restritivas novamente.

Além disso, com a indefinição oficial das eleições nos EUA, um acordo entre republicanos e democratas para novos estímulos parece cada vez mais distante. Com a declaração de veículos da imprensa de que Joe Biden deve ter vencido no estado do Arizona, a judicialização de Donald Trump fica ainda mais longe de ter sucesso.

No Brasil: dados de atividade econômica são destaque na agenda

Após o desempenho favorável do comércio varejista, o setor de serviços também mostrou crescimento em setembro de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O volume de serviços cresceu 1,8% em setembro e ficou acima do esperado pelo mercado. Com mais estes dois resultados, além da indústria e dados da agropecuária, hoje, sexta-feira, 13, o Banco Central divulga o IBC-Br de setembro, conhecido como a prévia mensal do PIB. A expectativa é de que o indicador siga mostrando recuperação da economia brasileira, porém, em ritmo menor que dos meses anteriores.

Por Felipe Leon, com agências de notícias

Fonte :Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *