MENOR RESULTADO DESDE 2016 – Com falta de chuva, Emater estima queda de 13,8% na safra de verão no RS

Para o secretário da Agricultura, números mudam status da situação de estiagem para seca no Estado

A estiagem fará com que o Rio Grande do Sul passe longe de colher uma supersafra de verão no período 2019/2020, como era esperado antes do plantio. A Emater estima que a colheita nas propriedades gaúchas chegará a 28,72 milhões de toneladas, queda de 13,8% frente às 33,3 milhões de toneladas esperadas inicialmente e o menor resultado desde 2016. 

Os números foram confirmados na manha desta terça-feira (3) na Expodireto-Cotrijal, em Não-Me-Toque, no norte do Estado.

A safra ficará marcada por perdas significativas principalmente no milho e na soja, em decorrência da estiagem. As quebras nessas culturas superam os dois dígitos.

— Com esses números, podemos mudar o status de estiagem para seca. Esta seca está se agravando e vai diminuir muito a safra deste ano — resumiu o secretário estadual da Agricultura, Covatti Filho.

A safra de verão deverá injetar R$ 32,72 bilhões na economia gaúcha. O volume, no entanto, poderia ser maior. As perdas no milho e na soja farão com que, pelo menos, R$ 4,8 bilhões deixem de circular no Estado, segundo a Emater.

Principal cultura do Estado, a soja deverá ter redução de 16,2% na colheita em relação à safra passada. Ao todo, a Emater estima que serão retiradas das lavouras 16,54 milhões de toneladas da oleaginosa frente às 19,75 milhões de toneladas esperadas inicialmente.

Já no milho, a colheita deverá totalizar 4,69 milhões de toneladas, redução de 21,1% em relação à projeção inicial de 5,95 milhões de toneladas. Enquanto isso, no milho silagem devem ser retirados das lavouras 9,94 milhões de toneladas, queda de 20,7% frente a expectativa antes da colheita.

— No milho silagem tivemos perda de volume e de qualidade — enfatiza o diretor-técnico da Emater, Alencar Rugeri.

O arroz é a cultura menos afetada, com queda de produção estimada em 1,5%, chegando às 7,4 milhões de toneladas.

Fernando Soares

FERNANDO SOARES

de Não-Me-Toque

Fonte : Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *