Mendes Ribeiro Filho diz que dinheiro colocado na Agricultura é prova da parceria do governo com o setor

Fonte: CANAL RURAL |  Anne Ledur | Esteio (RS)

Ministro participou do Entrevista RBS, na Expointer 2011, onde respondeu perguntas dos jornalistas do Grupo
Em entrevista coletiva com os profissionais do Grupo RBS, no final da tarde desta quinta, dia 1º, na Expointer 2011, em Esteio (RS), o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, garantiu que as políticas agrícolas do governo Dilma serão mantidas em sua gestão. Mendes destacou que, apesar de a Agricultura “perder fatias de orçamento”, medidas como o preço mínimo e o seguro agrícola devem continuar.

– O dinheiro colocado na Agricultura é a prova de que o governo é parceiro do setor – declarou.

Como formas de reforçar o mercado interno – especialmente do arroz, que sofre com excedente de produção e concorrência externa – além de investimentos em qualidade e competitividade, o ministro salientou a importância de forçar o consumo.

– Se todo o brasileiro comer uma colher de arroz a mais por dia, vai faltar arroz no Brasil – acredita.

Perguntado a respeito de possíveis mudanças em sua pasta, Mendes disse que, a partir da próxima semana, já pretende provocar modificações estruturais no Ministério, como estreitar relações com a Conab e a Embrapa, encaminhar todas as questões pendentes e, se necessário, criar novos postos de trabalho. Nesse contexto, o ministro fez referência especialmente ao seu Estado natal, o Rio Grande do Sul.

– Quero uma superintendência gaúcha da envergadura de um ministro gaúcho – prometeu.

Mendes Ribeiro Filho também declarou que, assim como o Suasa – assinado pelo Rio Grande do Sul nesta quinta – tem outros projetos de fomento à agricultura familiar, que só revelará em seu discurso de abertura da Feira, que ocorrerá nesta sexta, dia 2.

– Nós recebemos um sinalzinho de que o céu está azul, mas ainda não estou autorizado a dizer – revelou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *