MEIO AMBIENTE | Sistema de TI dá suporte para gerenciar área de risco

Uma parceria do núcleo de geotecnia ambiental da PUC-Rio com a empresa Alta Geotecnia criou a primeira plataforma computacional on-line para o gerenciamento de áreas de riscos, escorregamentos de encostas e inundações. O sistema GeoDecision oferece aos profissionais que lidam com esses desastres a possibilidade de dispor de um "termômetro" para a rápida análise e tomada de decisões, a partir do cruzamento de variáveis como relevo, tipos de solo, vegetação e ocupação desordenada.

"É a primeira vez que uma ferramenta como essa fica disponível e pode ser empregada para qualquer tipo de área ou cidade", diz o diretor executivo da empresa, Álvaro Viana. Ele observa que cada vez mais os acionistas, gestores e seguradoras de grandes ativos de infraestrutura civil como barragens, portos, ferrovias, dutos e estradas estão cientes de que seus maiores problemas se relacionam às alterações climáticas. "Além das grandes secas que prejudicam as usinas hidrelétricas, as inundações, enchentes e escorregamentos de encostas devem fazer parte do leque de incertezas associadas à qualidade e segurança dessas construções".

Viana lembra que as próprias instituições financiadoras já estão colocando o assunto em pauta na hora de decidir por investimentos em projetos. "Isto vem fazendo com que as empresas se preocupem mais com a necessidade de se avaliar as condicionantes relativas ao meio físico, como a geotecnia, hidrogeologia, geomorfologia e impactos em flora e fauna, empregando bons profissionais ou contratando empresas que se baseiem nas boas práticas de engenharia".

Dois modelos de informação são fornecidos pelo sistema: qualitativo e quantitativo. O primeiro gera mapas de suscetibilidade, isto é, aponta o grau de vulnerabilidade de uma determinada região, a partir de referências quanto a relevo, vegetação e geologia. O segundo permite determinar o fator de segurança de áreas de risco quando há previsão de chuvas ou quando elas estão ocorrendo. Dessa forma, órgãos como a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros podem dispor de informações mais confiáveis para acionar alarmes ou determinar a evacuação dos moradores.

Faz parte da plataforma um aplicativo para smartphones e tablets, o GD-Mobile, que auxilia o trabalho de campo dos profissionais durante o levantamento das áreas de risco. O software, georreferenciado por GPS, possibilita anexar fotografias e croquis aos boletins de campo. Quando o aparelho se conecta à internet, os dados são sincronizados com um banco de informações, o que facilita a mobilidade e o trabalho a distância de equipes de engenheiros, geógrafos e técnicos.

A Alta Geotecnia Ambiental foi fundada em abril de 2010 e incubada no Instituto Gênesis da PUC-Rio. No ano passado, recebeu o prêmio de melhor empresa incubada do Brasil em concurso promovido pela Anprotec.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/brasil/3574712/sistema-de-ti-da-suporte-para-gerenciar-area-de-risco#ixzz33m60wf00

Fonte: Valor |  MEIO AMBIENTE | Por Dauro Veras | De Florianópolis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *