MDA identifica situação de agricultores familiares atingidos por barragens

Patrus se reúne com agricultores familiares em Governador Valadares (MG)

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) vai mapear a situação dos agricultores familiares e assentados da reforma agrária atingidos pelo rompimento das Barragens de Fundão e Santarém, em Mariana (MG). O anúncio foi feito pelo ministro da pasta, Patrus Ananias, nesta sexta-feira (19), durante encontros com produtores rurais nos municípios mineiros de Tumiritinga e Governador Valadares.

"Queremos identificar os agricultores familiares para, a partir desse cadastro, sabermos o que cada família precisa. Por exemplo, se recebeu Pronaf, vamos trabalhar para que essa dívida seja perdoada. Os que não receberam nenhum crédito, nós vamos trabalhar para que sejam contemplados com créditos em condições adequadas ao momento que estamos vivendo. E, assim, trabalharmos também com outros benefícios, como os ligados ao Minha Casa Minha Vida Rural e outros programas do nosso ministério. Para isso, é fundamental que nós identifiquemos a situação específica, concreta de cada família", explicou Patrus Ananias.

Segundo o ministro, a identificação será feita por um grupo de trabalho coordenado pelas Delegacias Federais do MDA em Minas Gerias e Espírito Santo, com a participação das superintendências do Incra desses estados. A portaria com mais detalhes da iniciativa será publicada na próxima semana.

Encontro com agricultores

Na manhã desta sexta-feira, Patrus Ananias visitou o assentamento Cachoeririnha, em Tumiritinga. Situado á beira do Rio Doce, as famílias assentadas têm enfrentado dificuldades no abastecimento de água para a produção local.

"A nossa terra é muito fértil. Se a gente estragar, como é que fica? É com essa água [do Rio Doce] que alimentamos o gado, o peixe, ela que nos dá condições para viver. Tudo depende desse rio", salientou o presidente da Associação do Assentamento Cachoeirinha, José Pavuna Neto.

“Aqui, na região, temos 22 assentamentos, com 833 famílias vinculadas, todas elas, ao Rio Doce. Estamos aqui para verificar diretamente quais medidas podemos tomar. Vejo que há um esforço muito grande de resistência e alternativas aqui na região, mas é fundamental que nós acertemos logo a situação do rio. Essas famílias precisam dele para viver", concluiu Patrus Ananias que, em seguida, visitou a Escola Estadual Assentamento 1º de Junho.

À tarde, o ministro se encontrou com agricultores familiares e representantes de movimentos sociais do território Médio Rio Doce, na sede da Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar do Estado de Minas (Fetaemg).

Roberta Paola
Ascom/MDA

Fotos: Paulo Henrique Carvalho/MDA

Fonte : Mda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *