MDA debate demandas das trabalhadoras rurais

Fotos: Albino Oliveira/MDA

Patrus recebe pauta de solicitações do MMC

Como parte da agenda de mobilização do Dia Internacional da Mulher, representantes do Movimento de Mulheres Camponesas (MMC) estão, em Brasília, na marcha de luta pelos seus direitos. E nesta quarta-feira (9), o ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Patrus Ananias, a diretora de Políticas para Mulheres Rurais (DPMR/MDA), Célia Watanabe, e o assessor especial do ministro Nilton Tubino receberam algumas mulheres do movimento.

Entre as solicitações do grupo está a ampliação de políticas públicas direcionadas às mulheres, como os quintais produtivos, o fomento e a comercialização. O ministro Patrus destacou que a meta para este ano é beneficiar 100 mil mulheres assentadas com o crédito instalação Fomento Mulher, potencial recurso para implantação dos quintais produtivos. “Estamos trabalhando para inserir os quintais produtivos no Plano Safra da Agricultura Familiar. Sabemos que o momento não é fácil, mas temos boas estratégias de trabalho. Queremos trabalhar a questão dos quintais produtivos, da compra direta e das agroindústrias”, ressaltou.

Outra pauta apresentada pelas trabalhadoras é relacionada à reforma previdenciária. De acordo com a representante do MMC de Santa Catarina, Noeli Taborda, segundo dados do site da previdência, 40% dos benefícios atendem questões de doença e 12% são voltados para aposentadoria. “A gente percebe que esse modelo de sociedade está deixando as pessoas muito doentes. E 12% é um número muito pequeno, para se avaliar que o aumento da idade para se aposentar vai fazer alguma diferença. No que diz respeito às mulheres, precisamos levar em consideração a tripla jornada de trabalho feita. Que vai além do trabalho na roça, tem o cuidado com a família e com o meio ambiente. Então, não podemos ter esse retrocesso”, afirmou.

Célia Watanabe garantiu que o MDA vai defender os direitos adquiridos pelas mulheres, em um grupo de trabalho que discutirá a reforma, bem como em outros diálogos interministeriais.  “Estamos nos inserindo na rodada de diálogos e vamos discutir a questão previdenciária, na perspectiva do direito das mulheres, para garantir as conquistas”, explicou.

O Movimento

O MMC representa mulheres trabalhadoras rurais camponesas, quilombolas, ribeirinhas, quebradeiras de coco, pescadoras artesanais, assentadas, acampadas, indígenas e mulheres do campo, das águas e das florestas.

Tássia Navarro

Ascom/MDA

Fonte : MDA

Compartilhe!