Massa falida leiloa fazenda da Boi Gordo no próximo dia 9

Lance inicial pela propriedade será de R$ 11 milhões

por Globo Rural On-Line

Divulgação/Freitas Leilões

Lance inicial pela Fazenda Buriti, na Chapada dos Guimarães (MT), é de R$ 11 milhões (Foto: Divulgação/Freitas Leilões)

Uma fazenda que faz parte da massa falida das Fazendas Reunidas Boi Gordo será leiloada no próximo dia 9 de dezembro, em São Paulo. A propriedade tem 1,058 mil hectares e está localizada na Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso. O lance inicial é de R$ 11 milhões.
De acordo com o comunicado sobre o leilão, o pagamento pela propriedade poderá ser feito à vista ou à prazo. No caso da segunda opção, 20% do valor devem ser pagos no ato e o restante será dividido em 12 parcelas. Despesas com impostos, transferência e registro também são de responsabilidade do comprador.
Desde 2011 não eram realizados leilões relativos à falência das Fazendas Reunidas Boi Gordo. A expectativa da administração da massa falida é a de pelo menos repetir o desempenho de dois anos atrás, quando houve ágio de 70% nas fazendas vendidas. A aposta é na valorização que os preços das terras vêm tendo, em função dos preços de commodities.
Pelo menos outras seis fazendas devem ser leiloadas no ano que vem. Os recursos serão usados para pagar os credores. De acordo com a administração, a massa falida tem R$ 50 milhões em caixa. Com as próximas vendas, calcula-se que pode chegar a R$ 400 milhões.
Só os credores trabalhistas e fiscais têm R$ 150 milhões a receber. Os mais de 30 mil investidores da Boi Gordo devem reaver apenas parte do que aplicaram. A expectativa é começar o pagamento já no ano que vem com os trabalhistas. O ressarcimento aos demais credores não deve terminar antes de 2015.
As Fazendas Reunidas Boi Gordo ganharam destaque ao oferecer rendimentos de 42% em 18 meses aos investidores. Ganhos que viriam de engorda de bovinos. Posteriormente, foi constatado que o negócio funcionava como um esquema de pirâmide, em que a maior rentabilidade oferecida aos primeiros investidores era bancada com os recursos de novos clientes.
A empresa também declarou ter 100 mil cabeças de gado quando, em função do número de investidores e do volume de recursos, deveria ter pelo menos 10 vezes mais. Afundada em dívidas de mais de R$ 2 bilhões, teve a falência decretada em 2004.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *