- Ricardo Alfonsin Advogados - https://alfonsin.com.br -

Marfrig obtém aval para adquirir National Beef

O vice-presidente de finanças e de relações com investidores da Marfrig, Eduardo Miron, afirmou ontem que a empresa obteve o aval do órgão antitruste dos EUA para adquirir a National Beef, quarta maior indústria de carne bovina do país. O negócio transformará a Marfrig na segunda maior indústria de carne bovina do mundo, ficando atrás somente da também brasileira JBS.

Na prática, o Departamento de Justiça dos EUA (DoJ) não se manifestou durante o prazo de 30 dias contados a partir do dia em que a Marfrig protocolou a aquisição. Pela legislação americana, se não houver manifestação no prazo, a compra pode prosseguir. Se o órgão antitruste tivesse pedido mais informações sobre a transação, a aprovação do negócio poderia demorar.

Com o vencimento do prazo, a única pendência da Marfrig para concluir a aquisição da National Beef é a aprovação da BNDESPar, braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que possui 33% das ações da Marfrig. Pelo acordo de acionistas firmado entre a BNDESPar e o empresário Marcos Molina, fundador e principal acionista da Marfrig, o banco estatal tem poder de veto sobre transações como a aquisição da National Beef.

No mercado, avalia-se que não haverá problemas com a aprovação pela BNDESPar. A compra de 51% da National Beef, por US$ 1 bilhão, será financiada somente com recursos privados. No mês passado, quando a Marfrig anunciou a aquisição, o vice-presidente de finanças da companhia frisou que os dois membros do conselho de administração da Marfrig indicados pela BNDESPar aprovaram o negócio. A expectativa é que a BNDESPar aprove a negociação ainda neste mês.

Procurada, a BNDESPar informou que está analisando o pedido da Marfrig e que responderá conforme o prazo estabelecido no acordo de acionistas. Pelos termos do acordo, a BNDESPar tem 30 dias para responder a contar do recebimento da carta enviada pela Marfrig. A aquisição foi anunciada ao mercado em 9 de abril.

Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Fonte : Valor

Compartilhe!