Mapa trabalha para ampliar Moderfrota

 

Recursos previstos para doações no plano safra são insuficientes, diz Neri Geller

O Ministério da Agricultura trabalha para ampliar os recursos para o Moderfrota e os de custeio para a safra 2016/17, afirmou o secretário de Política Agrícola e ex-ministro Neri Geller. Segundo ele, os recursos previstos para as duas dotações no plano safra são insuficientes e terão de ser maiores, principalmente para o Moderfrota.

"Temos de ampliar recursos do Moderfrota, porque R$ 5 bilhões é muito pouco para a agricultura brasileira investir. Esse programa é importante e é bom lembrar que em 2013/2014 foram R$ 12 bilhões", disse Geller. "Temos uma discussão com o Ministério do Planejamento e vamos trabalhar para aumentar", completou o secretário, que exerce a função, mas ainda não teve seu nome publicado no Diário Oficial da União.

Ontem, o Conselho Monetário Nacional (CMN) elevou, no programa Moderfrota, o limite de financiamento para a aquisição de equipamentos de preparo, secagem e beneficiamento de café de R$ 40 mil para R$ 320 mil por ano agrícola. Também ficou permitido o financiamento de pulverizadores autopropelidos de qualquer tamanho e capacidade.

Geller destacou, ainda, a decisão do CMN de alterar as regras de direcionamento de recursos captados pelas instituições financeiras por meio de Letras do Crédito do Agronegócio (LCAs) para operações de crédito rural. A partir de hoje, 35% do saldo médio das LCAs emitidas, independentemente do lastro, deverão ser direcionados para o financiamento rural. A medida deve direcionar cerca de R$ 21 bilhões para o crédito rural ao plano safra, R$ 9 bilhões para operações de custeio com taxas controladas de até 12,75% ao ano e R$ 12 bilhões restantes para operações com taxas livres.

"Esse recurso para o custeio é importantíssimo, pois amplia o volume para produtores se autofinanciarem. Importante porque produtor com recursos na mão consegue negociar melhor sua produção", completou Geller.

 ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte: Portal DBO