Mais industrialização

O agronegócio exportador de matérias-primas não tem futuro. A produção agropastoril é a vocação maior do Rio Grande do Sul mas é preciso agregar valor à produção do campo, convertendo commodities em produtos industrializados. Foi o que disseram representantes do governo e da indústria ontem, na Casa RBS. O caso da avicultura é emblemático. O setor transforma milho em proteína animal, que é exportada para mais de 150 países, com alto nível de processamento. No entanto, a escassez do grão e a carga tributária que incide ao longo de toda a cadeia têm levado essa indústria a migrar para outros Estados em busca de ambientes mais favoráveis. Ou seja, já se sabe que o caminho é o processamento das matérias-primas produzidas no Estado. Mas esse caminho ainda precisa ser pavimentado por políticas públicas de incentivo à industrialização. Com ou sem guerra fiscal.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *