Mais estímulo às importações de trigo

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, disse que o governo estuda elevar a cota de trigo importado com isenção de imposto – a Tarifa Externa Comum (TEC) – para evitar aumento dos preços do cereal no mercado interno.

"Participei de uma conversa ontem [anteontem] com o ministro Antônio Andrade sobre elevar o teto de importação de trigo sem impostos. Além disso, queremos incentivar a região Centro-Oeste a produzir trigo e isso será estimulado como alternativa de segunda safra", disse Geller.

Desde abril deste ano, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) já autorizou a importação de 2,7 milhões de toneladas de trigo de fora do Mercosul, sem a cobrança da TEC, que é de 10%. A última liberação ocorreu em setembro quando, a Camex prorrogou até o dia 30 de novembro o prazo para importação de até 400 mil toneladas do cereal de fora do bloco.

Em levantamento divulgado ontem, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) previu que as importações de trigo no ciclo 2013/14 vão atingir 6,7 milhões de toneladas, um pouco menos do que as 7 milhões de toneladas registradas na safra anterior.

O Brasil é um importador líquido do cereal. Consome cerca de 10,5 milhões de toneladas por ano, abaixo de sua produção interna que, nesta temporada 2013/14 deve alcançar 4,769 milhões de toneladas. O crescimento de produção será de 8,9% em relação ao ciclo anterior, apesar de a área plantada ter crescido 15,1%. Esse descompasso se deveu à quebra da safra do Paraná que foi afetada pela ocorrência de fortes geadas. (TV)

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3299512/mais-estimulo-importacoes-de-trigo#ixzz2hK0dDS00

Fonte: Valor | Por De Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *