Mais de 8 mil beneficiários do PNCF tiveram os financiamentos quitados no PI

Cerca de 1000 agricultores familiares piauienses, beneficiários do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), estiveram reunidos em Teresina (PI), nesta segunda-feira (19), para receberem os certificados simbólicos de quitação dos financiamentos do PNCF. Ao todo foram quitados 446 contratos, beneficiando 8.234 famílias, de 111 municípios nos 12 territórios do estado.

Foi um momento de alegria para essas famílias, que comemoraram a quitação da dívida com o PNCF e o começo de uma nova fase de investimentos em suas propriedades, como conta Maria Cleide dos Santos Lima, uma das 20 mulheres que compõe a associação Agricultoras Familiares Mulheres Organizadas, adquirida em 2005 pelo Crédito Fundiário. Para nós, esse é um momento de muita emoção, porque tudo que queremos na vida, enquanto mulheres, é conquistar nosso espaço. Por isso, ter a possibilidade de quitar o financiamento e nos tornarmos, definitivamente, dona da nossa propriedade é um sonho. Estamos todas muito felizes!”.

Também foi grande a satisfação dos 17 beneficiários da associação Jovens Produtores Rurais Terra Ativa, que em 2005 compraram 262 hectares pelo PNCF no município de Batalha. A associada Maria do Socorro Pereira de Carvalho conta que quando acessaram o Programa eram todos jovens, com idade entre 18 e 29, com um sonho incomum: o trabalhar na própria terra. “Estamos muito contentes, porque a terra que cultivamos e nos fez independentes, hoje é nossa de fato e de direito! Temos a consciência que após a quitação outros projetos virão para a associação e isso vai ajudar a gente ter uma vida ainda melhor”, disse.

Em sua fala, a subsecretária de Reordenamento Agrário da Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (SRA/Sead), Raquel Santori, destacou da importância desse momento na vida das milhares de famílias beneficiadas pelo PNCF no Piauí. “A quitação é um passo importantíssimo para esses agricultores, uma vez que poderão usar o recurso, antes destinado ao pagamento da parcela do Crédito Fundiário, para ampliar e qualificar a produção em suas áreas e associações, aumentando, dessa forma, a sustentabilidades de suas unidades produtivas”.

Santori falou ainda da expectativa da SRA com a o inicio da operacionalização das novas condições do PNCF, previsto para a primeira quinzena de abril. “Nosso desafio é retomar o Programa nos estados logo, para que mais famílias possam acessar o Crédito Fundiário e dessa forma, realizar o sonho de viver da própria terra”.

O PNCF no Piauí

No Piauí, o PNCF tem sido uma importante ferramenta de acesso à terra, de combate à pobreza e para protagonismo de jovens e mulheres rurais, que viram no Programa uma oportunidade única de realizar o sonho de ter um imóvel rural e nele produzir com sustentabilidade. Ao todo já foram beneficiadas 18.422 famílias, num investimento de mais de 364,3 milhões, o  que tornou o Piauí o segundo estado no Brasil em número de acesso ao Programa.

Um bom exemplo de sucesso é o senhor Francisco dos Santos Sepúlvida, mais conhecido como “Preto”. Sem terra, ele trabalhava como meeiro, quando surgiu a oportunidade de ter um imóvel rural pelo PNCF. Em 2004, ele e mais 16 trabalhadores rurais, na mesma condição, se associaram e adquiriram uma área de 353 hectares no município de Oeiras. Com o cultivo de hortaliças e de fruticultura eles conseguiram ampliar a renda e mudar, significativamente, a condição de vida de suas famílias. "Para mim o PNCF representou a vida. A oportunidade de poder antecipar a quitação do financiamento me deu uma sensação ainda maior de liberdade e de dever cumprido, disse “Preto” emocionado.

Para o governador do Piauí, Wellington Dias, o PNCF tem feito uma grande diferença na agricultura familiar do estado. “Por anos o Piauí vem se destacando no Crédito Fundiário, isso porque acreditamos no Programa e nos benefícios que ele traz para o nosso agricultor. Ver hoje tantas famílias recebendo o documento da terra nos da muita satisfação, pois agora eles poderão dizer com verdade: Essa terra é minha, não devo mais nada, vou poder investir mais e viver com dignidade,” finalizou. 

Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário 
Assessoria de Comunicação

Soraya Brandão

Fonte : MDA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *