Mais da metade da área plantada com arroz na região central tem colheita incerta

Enchentes causam prejuízos, que foram relatados a ministro e secretário ontem

Mais da metade da área plantada com arroz na região central tem colheita incerta Jean Pimentel/Agencia RBS

Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS

Desde antes do plantio, as enchentes já começaram a causar apreensão em produtores de arroz, pois atrasaram a entrada das semeadeiras. Nesta quarta-feira, entidades ligadas ao cultivo do grão no Estado se reuniram com o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e com o Secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, André Nassar, para apresentar um relatório de perdas e pedir apoio.

Leia outras notícias sobre agricultura

O Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), autor do documento, calcula as perdas em 15% na produção da safra 2015/2016 devido a atraso no plantio e ao alagamento de lavouras. Veja ao lado os números sobre a região. O presidente da Federação das Associações de Arrozeiros (Federarroz), Henrique Dornelles, também participou do encontro, que ocorreu em Alegrete:

– Nós relatamos as perdas em função das enchentes e também os prejuízos com o aumento dos custos de produção. De concreto, o secretário concordou com a necessidade de recursos para a venda da safra, para que os preços não caiam e o produtor fique num prejuízo ainda maior – afirmou, ponderando que medidas tradicionais de ampliação de prazos de financiamentos não serão suficientes neste ano.

Agudo tem perda de 25% na lavoura de fumo após granizo

Na Depressão Central, que compreende Santa Maria, Restinga Seca, São Sepé, Caçapava do Sul, São Pedro do Sul, Formigueiro e Agudo, foi a mais afetada, com 51,9% da área alagada.

A Campanha, onde estão Rosário do Sul, São Gabriel, Cacequi, São Francisco de Assis e São Vicente do Sul, deve ter 15,8% de quebra. A estimativa de perda total é de 2,4%. Porém, lavouras que ainda estão embaixo d’água não tiveram as perdas avaliadas.

As condições climáticas que se seguem às chuvas, com longos períodos nublados e temperaturas mais amenas, também devem piorar a situação. Para ter boas produtividade e qualidade, a lavoura de arroz precisa de períodos mais longos de sol.

Fonte: Zero Hora

Por: Juliana Gelatti

06/01/2016 – 20h51min

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *