Mais Alimentos fecha seu 1º contrato internacional

Foi assinado ontem com o Zimbábue o primeiro contrato comercial do Mais Alimentos Internacional, braço voltado a negócios no exterior do programa do governo federal que financia investimentos na modernização de propriedades de agricultores familiares.

O contrato entre as empresas brasileiras e o governo do Zimbábue foi da ordem de US$ 35 milhões (R$ 72 milhões), de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). A assinatura do contrato ocorreu durante a abertura da 21ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow), em Ribeirão Preto, no interior paulista.

De acordo com o MDA, em cinco anos o programa Mais Alimentos foi responsável, em nível nacional, por mais de 500 mil contratos realizados com quase 500 indústrias de máquinas.

O Mais Alimentos Internacional teve suas regras remodeladas no ano passado a fim de agilizar o processo. O programa tinha sido lançado oficialmente em dezembro de 2012. Com as mudanças, o país interessado em participar do programa poderá importar máquinas agrícolas e negociar diretamente com a empresa exportadora, disse ao Valor, em dezembro do ano passado, Marco Antonio Viana Leite, coordenador do Mais Alimentos.

Antes, a ideia era que o Ministério do Desenvolvimento Agrário e as empresas definiriam em conjunto quais companhias poderiam efetuar a venda e os preços que seriam praticados. Agora, as empresas poderão inclusive exportar diretamente, sem a intermediação de uma trading.

Um banco sediado no país que participar do programa deverá emitir uma carta de crédito para o exportador brasileiro com o valor das máquinas que serão embarcadas – e o Banco do Brasil pagará diretamente aos fornecedores brasileiros. O BB é o operador do Proex, que financia o Mais Alimentos Internacional.

No fim do ano passado, Zimbábue e Cuba já estavam em negociações para acertar suas primeiras compras. Senegal, Moçambique, Gana e Quênia também mostraram interesse em participar do programa.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3530124/mais-alimentos-fecha-seu-1#ixzz30HkGn8El

Fonte: Valor | Por Carine Ferreira | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *