LIMITES DO PRONAF PREOCUPAM

A mudança no formato para enquadramento de produtores no Pronaf anunciada no Plano Safra alerta para a possível exclusão de agroindústrias gaúchas. Os setores mais ameaçados, segundo a Fetag, são a olericultura e floricultura. O assessor de Política Agrícola da federação, Airton Hochscheid, explica que, até então, as empresa tinham rebate de 70% na renda com um teto de R$ 160 mil podendo chegar a R$ 320 mil por meio de bônus. Contudo, o valor bruto da produção menos o consumo intermediário resultava na renda do produtor. O cálculo foi eliminado e, agora, apesar do teto ter sido elevado para R$ 360 mil, a renda é igual a 100% do valor da produção. O coordenador-geral de financiamento do MDA, Mauri Andrade, garante que o novo formato não vai deixar produtores de fora. ‘A mudança é para simplificar o enquadramento’, frisa.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *