Leilões de milho da Conab negociam 71,21% do total ofertado e registram preço máximo de R$ 38,22/sc

Nesta quarta-feira (2), a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) realizou mais dois leilões de vendas dos estoques públicos de milho. Mais uma vez, a entidade ofertou 150 mil toneladas do cereal e a quantidade arrematada ficou em 106,812 mil toneladas do grão, o equivalente a 71,21%. Na primeira operação, de número 34, o volume negociado foi de 50,90% do total ofertado, de 66,42 mil toneladas do grão.

Consequentemente, o volume comercializado ficou em 33,80 mil toneladas do cereal e a sobra foi de 32,61 mil toneladas. Nesta operação, o destaque ficou por conta dos lotes do estado de Mato Grosso do Sul, que foram os mais disputados e registraram maior elevação em relação aos preços iniciais. De São Gabriel do Oeste, os lotes 1 e 2, ofertaram pouco mais de 13,76 mil toneladas e foram arrematados em sua totalidade. Com isso, as cotações subiram 16,96% e fecharam o leilão a R$ 36,00 a saca de 60 kg.

Já o lote 3, de Sidrolândia, ofertou cerca de 1 mil toneladas e a negociação chegou a 95,43%. O preço subiu R$ 30,78 a saca para R$ 37,92, alta de 23,20%. O mesmo ocorreu com o lote 4, também do município, em que o valor inicial passou de R$ 30,78 a saca para R$ 38,22, ganho de 24,17%. O total ofertado foi de 457 toneladas do milho e a quantidade negociada ficou em 98,42%.

Os demais lotes, todos do estado de Mato Grosso, a negociação não foi tão expressiva, com exceção das ofertas de Sinop e Sorriso que foram 100% comercializadas. Inclusive, em Sinop, o preço inicial subiu de R$ 21,42 a saca para R$ R$ 21,54 a saca, valorização de 0,56%. Porém, na grande maioria dos negócios os valores iniciais foram mantidos em R$ 20,22 a saca e R$ 21,42 a saca dependendo do lote.

Da segunda operação, de número 35, o volume total negociado foi de 87,35%, do total ofertado de 83,57 mil toneladas de milho. Foram arrematadas 73 mil toneladas e a sobra ficou em 10,57 mil toneladas do cereal. Nesse leilão, o lote mais disputado foi de Primavera do Leste (MT), de 5 mil toneladas. 100% da quantidade ofertada foi comercializada e a cotação inicial passou de R$ 21,42 a saca para R$ 25,98 a saca, alta de 21,29%.

A procura também foi maior para o lote 2, de Ipiranga do Norte, que ofertou 5,74 mil toneladas do grão. A negociação chegou a 100% e, com isso, o valor apresentou ganho de 2,67% e a saca foi negociada a R$ 20,76. O valor inicial era de R$ 20,22 a saca. Em Lucas do Rio Verde, lote 6, que ofertou 5,44 mil toneladas de milho, a cotação também subiu, cerca de 1,40%, para R$ 21,72 a saca, contra a cotação inicial de R$ 21,42 a saca.

O lote de Nova Ubiratã, de número 8, foi 100% negociado a cotação subiu 0,84% ao longo do leilão. Os preços subiram de R$ 21,42 a saca para R$ 21,60 a saca. No outros lotes, os valores iniciais foram mantidos em R$ 23,40, R$ 20,22 e R$ 21,42 a saca, dependendo da origem da oferta.


Notícias Agricolas

Fonte: Famasul

Compartilhe!