LARANJA – Safra 2019/20 de laranja deve crescer 36% em São Paulo e Minas

Volume previsto , de 388,89 milhões de caixas, será o maior desde a temporada 2017/2018

laranja-laranjeira (Foto: Unsplash/Creative Commons)Mesmo com área de plantio menor, produtividade tende a ser recorde. (Foto: Unsplash/Creative Commons)

A primeira Pesquisa de Estimativa de Safra (PES) de laranja 2019/2020 no parque comercial citrícola de São Paulo e Minas Gerais, divulgada na sexta-feira (10/5) apontou uma produção de 388,89 milhões de caixas (de 40,8 quilos). O volume é 36% maior do que os 285,98 milhões de caixas da safra 2019/2020. É maior safra desde 2017/2018, de 398,35 milhões de caixas.

O levantamento é feito pelo Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) em parceria com a Markestrat, a Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto (SP) e o Departamento de Estatística da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Jaboticabal (SP). No anúncio, o vice-presidente do Fundecitrus, Roberto Jank, atribuiu a alta à bianualidade da cultura, que alterna safras maiores e menores.A estimativa é considerada oficial para a safra de laranja na região brasileira, principal polo mundial produtor de suco, e tem a chancela da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo e do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) órgão correspondente ao Ministério da Agricultura norte-americano.

Produtividade recorde

A área disponível com a cultura na região recuou 1,42% entre as safras 2018/2019 e 2019/2020, de 401.470 hectares para 395.764 hectares. O número de árvores recuou menos, ou 0,74% entre os períodos, para 173,97 milhões de plantas produtivas.O número de frutas por caixa será de 783 unidades na safra 2019/2020, ante 564 frutos por caixa na safra 2018/2019 e 753 frutos por caixa em 2017/2018.

Com isso, a produtividade estimada na próxima safra deve ser recorde de 1.051 caixas por hectare, superando a de 2017/2018, de 1.033 caixas por hectare. Segundo o gerente-geral do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), Antonio Juliano Ayres, além da bianualidade da cultura, que alterna safras maiores e menores, a "condição de clima foi excepcional em todas as regiões", o que ajudou a elevar a produção.

O levantamento da atual safra foi feito por ume equipe de 120 pessoas, que durante quatro meses avaliaram uma amostra de 2.200 árvores adultas e 360 replantadas. As frutas são colhidas, contadas e pesadas de forma automática. Após o anuncio, 1.200 talhões serão monitorados mensalmente para a avaliação de fatores que mudam durante a safra, como o peso da fruta e as quedas.

O Fundecitrus divulgará, em setembro, a primeira reestimativa de produção de laranja da safra 2019/2020, a ser iniciada oficialmente em 1º de julho.

POR ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte : Globo Rural