Lactalis sobe em ranking mundial

A francesa Lactalis superou a também francesa Danone e se tornou a segunda maior empresa de lácteos do mundo em 2014, conforme ranking do Rabobank sobre as 20 maiores do setor, considerando a receita com o segmento. A Nestlé manteve a primeira colocação com US$ 27,8 bilhões – em 2013, sua receita havia sido de US$ 28,3 bilhões. O faturamento da Lactalis subiu para US$ 19,5 bilhões ante US$ 19,4 bilhões em 2013, enquanto a da Danone ficou em US$ 19,5 bilhões em 2014, abaixo dos US$ 20,2 bilhões de 2013. Em euro, a receita da Lactalis foi de € 14,7 bilhões e a da Danone, de € 14,6 bilhões, segundo o banco.

De acordo com o ranking Global Dairy Top 20 do Rabobank, a Lactalis subiu no ranking graças a "um vigoroso programa de aquisições". Em 2013, a francesa entrou no Brasil com a compra da Balkis, de queijos, e em 2014 adquiriu ativos da LBR – Lácteos Brasil e também da BRF. Mas a Lactalis só assumiu os negócios de lácteos da BRF este ano.

A neozelandesa Fonterra manteve o quarto lugar no ranking das 20 maiores, com receita de US$ 18,5 bilhões em 2014, acima dos US$ 15,3 bilhões de um ano antes. A Dairy Farmers of America (DFA) superou a holandesa Friesland Campina e subiu ao quinto lugar no ranking, com receita de US$ 17,9 bilhões (acima dos US$ 14,8 bilhões de 2013). A Friesland, em sexto, faturou US$ 14,8 bilhões em 2014, pouco abaixo dos US$ 14,9 bilhões de um ano antes. Segundo o Rabobank, a DFA subiu no ranking em decorrência dos preços recordes do leite nos EUA e de sua fusão com a Dairylea.

O Rabobank destaca como outra mudança significativa em 2014 a subida da chinesa Mengniu do 14º lugar no ranking para o 11º posto na lista das maiores de 2014. Já as grandes empresas de lácteos japonesas caíram no ranking ou mesmo saíram dele – caso da Morinaga. A Meiji ficou em 17º lugar – estava em 12º em 2013. A americana Land O’Lakes, porém, retornou ao ranking, para o 19º lugar, com receita de US$ 5,1 bilhões.

Em seu relatório, o Rabobank estima que as 20 maiores de lácteos do mundo tiveram faturamento combinado de US$ 223 bilhões em 2014, um aumento nominal de 5% sobre o ano precedente. Considerando, no entanto, que a inflação dos preços dos lácteos no varejo ficou entre 4% e 5% em mercados-chave em 2014, o crescimento ajustado pela inflação foi "muito fraco".

De acordo com a instituição holandesa, três fatores explicam o fraco crescimento das 20 maiores em 2014: crescimento econômico débil e preços elevados garantindo apenas aumento marginal do volume nos mercados dos EUA, União Europeia e China; o valor das vendas em muitos mercados emergentes, como Brasil e Turquia, também foi depreciado pela queda de suas moedas quando reportado em termos de dólares ou euros. Além disso, afirma o banco, houve escassez de grandes aquisições ou fusões pelas 20 maiores do mundo nos últimos 18 meses.

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *