Kátia Abreu defende manutenção de incentivos para o setor agrícola

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária.   Em discurso, à tribuna, senadora Kátia Abreu (PDT-TO).  Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Senadora apelou ao ministro da Economia, Paulo Guedes, para que subsídios ao setor agrícola, responsável por grande parte das exportações brasileiras, sejam mantidos
Roque de Sá/Agência Senado

Saiba mais

A senadora Kátia Abreu (PDT-TO) alertou, durante pronunciamento nesta terça-feira (12), para a necessidade de se manter as subvenções ao setor agrícola brasileiro. A parlamentar endereçou o apelo ao ministro da Economia, Paulo Guedes, para que sejam preservados incentivos de apoio à produção, como o Programa Moderfrota — financiamento para modernização de máquinas. Ela citou o Brasil como uma grande potência no setor agrícola, mas que diante de subvenções aplicadas por nações menos competitivas, ainda precisa avançar mais.

— Qual é a diferença nossa, do Brasil para os Estados Unidos ou a Europa? É que na verdade, nós estamos aqui fazendo, senhor ministro Paulo Guedes, nós estamos fazendo uma alocação correta de recursos, porque nós estamos subvencionando não a incapacidade e a ineficiência de produtor rural brasileiro. Nós estamos subvencionando o risco que nós temos com as intempéries climáticas. A subvenção é para que nós possamos enfrentar as estradas terríveis, desgraçadamente terríveis, que este país tem, como disse agora há pouco o senador de Rondônia Marcos Rogério (DEM-RO); para subvencionar a ineficiência dos portos; para subvencionar a falta, a inexistência de ferrovias, a inexistência de hidrovias — registrou.

Segundo dados apresentados pela senadora, nos últimos 20 anos o Brasil registrou aumento da produtividade de 4% ao ano. Ainda de acordo com a parlamentar, o setor é responsável atualmente por 42% da receita do país com exportações. Por esse motivo, para ela, é justificável que a subvenção ultrapasse os US$ 7 bilhões por ano.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Da Redação

Fonte : Agência Senado

Compartilhe!